HUT é responsável por 40% dos doadores de córneas e 65% dos doadores de múltiplos órgãos no Piauí

Em 2014 houve um aumento de 35% nas doações de córneas e 10% nas doações de múltiplos órgãos

Atualmente, o Hospital de Urgência de Teresina Prof. Zenon Rocha, por meio da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos (CIHDOTT),  é responsável por 40% dos doadores de córneas e 65% dos doadores de múltiplos órgãos em todo Piauí. Em 2014 houve um aumento de 35% nas doações de córneas e 10% nas doações de múltiplos órgãos em relação ao ano anterior.


A CIHDOTT do HUT é constituída por uma equipe multidisciplinar sendo dois psicólogos, quatro enfermeiros e um médico, tendo funcionamento 24h por dia para dar cobertura a todos os óbitos e mortes encefálicas que ocorrem no hospital. De acordo com a enfermeira Nadja Miranda, membro da CIHDOTT, a Comissão faz busca ativa, diariamente, em todos os setores do hospital para identificar potenciais doadores e fortalecer a rede de comunicação com os profissionais da instituição, visando a sensibilização em torno da temática. Além disso, são responsáveis pela entrevista com os familiares desses possíveis doadores de órgãos ou tecidos.

“Nosso papel não é convencer os familiares a autorizarem a doação, e sim, acolhê-los em momento tão difícil, esclarecer dúvidas sobre o diagnóstico de morte encefálica, bem como sobre o processo de doação de órgãos, para que ao final eles possam tomar uma decisão com segurança e tranquilidade”, explicou Nadja.

Apesar das conquistas dos últimos anos, as filas de espera por órgãos no Piauí ainda são extensas. Atualmente existem 200 pessoas na fila de rins e 340 na fila de córneas. No Brasil esses números chegam a algo em torno de 29 mil pessoas esperando por algum órgão ou tecido.

Desde a implantação da CIHDOTT foram registrados 384 doadores de órgãos e tecidos no HUT (346 de córneas e 38 de múltiplos órgãos). Em 2008, o Piauí tinha ficado em último lugar no país em taxa de transplante de córneas. Já em 2009, o número de doadores triplicou e desde então os números só vêm crescendo. Com isso, o tempo na fila de espera, que era de cinco anos para transplante de córneas, passou para dois, e a taxa de transplantes de córneas por milhão de população no primeiro semestre de 2014 (61,1 pmp/ano) foi  maior que a média geral do Nordeste (49,86 pmp/ano), de acordo com dados do Registro Nacional de Transplantes (RNT).

Atualmente o número de doadores efetivos de órgãos por milhão de população no país é de 14 doadores (pmp), enquanto isso, no Piauí esse número ainda é algo em torno de cinco doadores (pmp). “Na doação de múltiplos órgãos (doadores em morte encefálica) ainda há muito que fazer, pois os desafios são maiores, mas enxergamos no HUT um grande potencial de doação, o ano de 2014 foi muito bom, mas esperamos ser este apenas o começo de uma trajetória de crescimento”, destacou o diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: portalpmt