III Marcha pelo Parto Humanizado reúne 3 mil pessoas na z. Leste

A caminhada ocorreu na avenida Raul Lopes.

Mães, pais, profissionais da saúde, estudantes e autoridades políticas disseram sim ao parto humanizado no Piauí. Nesse sábado (14), a III Marcha pelo Parto Humanizado reuniu cerca de três mil pessoas na Avenida Raul Lopes, zona Leste de Teresina.

A III Marcha pela Humanização do Parto é uma forma de conscientizar as futuras mamães sobre a importância e o direito de escolher o parto normal humanizado. A Marcha percorreu toda a avenida encerrando as atividades no Parque Potycabana, onde foi feito o maior agachamento público já registrado no Piauí.

O ato é o símbolo do parto humanizado e, em dupla, todos os participantes da Marcha realizaram o agachamento semelhante ao realizado no momento do parto normal humanizado. Para a fisioterapeuta e coordenadora da Marcha, Kallynny Matos, o evento reforça o compromisso de todos os profissionais da saúde que atuam na saúde da mulher, desde o pré-natal até o momento do parto.

Image title

“As mães piauienses precisam saber que podem escolher ter o parto normal humanizado. A evolução do bebê e do corpo da mulher, durante o pré-natal, irá permitir esse momento. A marcha também é um alerta para os direitos das mulheres na hora do parto, como é o caso da Lei do Acompanhante, que ainda não é cumprida em todos os hospitais. Também alertamos as mulheres quanto a alguns constrangimentos na hora do parto, a exemplo do número de toques excessivos e o corte desnecessário do períneo. Precisamos acabar com essas práticas ultrapassadas”, reforça Kallynny Matos.

Para Marcelino Martins, presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, a Marcha é a oportunidade de reforçar a parceria entre as profissões que atuam na saúde da mulher. “Hoje, o atendimento multiprofissional é extremamente importante para o paciente, em especial para as mulheres grávidas. A humanização do parto é um movimento nacional e o Piauí reforça essa luta através do Sistema Coffito/Crefitos, em parcerias com as universidades estadual e federal do Piauí, e com a Ordem dos Advogados do Brasil”, registra.

Image title


O secretário estadual de Saúde, Francisco santos, ressaltou que a Maternidade Evangelina Rosa é preparada para realizar partos normais humanizados. “Temos uma equipe multiprofissional para receber as gestantes. Sabemos que o Brasil é um dos países que mais realizam partos cesáreos e queremos mudar esses números. Estamos trabalhando para abrir uma nova maternidade e seguiremos ofertando aperfeiçoamento aos nossos profissionais para que as gestantes tenham sempre a opção de fazer o parto normal humanizado com segurança e conforto”, comenta.

Francisco Pádua, presidente da Fundação Municipal de Saúde, destacou que a Prefeitura de Teresina, através das maternidades e postos de saúde, reforçam, junto às gestantes, ainda na fase do pré-natal, os benefícios do parto normal. “Nossas equipes orientam as gestantes teresinenses para que escolham ter o parto normal. Nossas maternidades e os profissionais da saúde estão prontos para acompanhar todas as gestantes que optarem pelo parto normal humanizado”, destaca.

A vice-governadora Margarete Coelho também prestigiou o evento e reforçou o compromisso do Governo o Piauí em manter as políticas púbicas de saúde da mulher, em especial àquelas voltadas para as gestantes. “Tive a oportunidade de ter um parto normal e sei o quanto é saudável para as mulheres e para os bebês. O Governo do Estado reforça o compromisso de dar sempre condições para as gestantes serem bem atendidas e realizarem o parto normal humanizado com segurança”, encerra.

Fonte: Ascom