Incêndio destrói fábrica de caixões em Teresina

Foi mobilizado todo corpo efetivo dos bombeiros de Teresina

Um incêndio  registrado na tarde de sábado (10), destruiu uma fábrica de caixões de defuntos, localizada na avenida José Almeida Neto, na Vila da Guia, na zona Sudeste de Teresina, próximo a ponte recém-inaugurada, Anselmo Dias, que liga as zonas Sul e Sudeste da capital piauiense.

O tenente Erisman de Sousa, disse que os homens do Corpo de Bombeiro conseguiram controlar as chamas , mas todos os caixões e demais objetos de dentro da empresa ficaram destruídos e se transformaram em cinzas.

O incêndio iniciou por volta das 13h. O sargento Yonesko, afirmou que dentro da fábrica tinha madeiras, verniz, caixões e materiais bastante inflamável, por isso o incêndio foi muito rápido e a destruição foi completa. Muitos curiosos acompanharam o trabalho dos bombeiros.

O tenente Pablo, revelou que o incêndio começou com uma queimada no terreno que fica nos fundos da fábrica. As chamas do fogo se alastraram e atingiram as dependências da empresa, causando a destruição do lugar.

O proprietário da fábrica, Cláudio Carvalho, disse que possui seguro da fábrica e que foi comunicado do incêndio por volta das 13h40. Ele contou que no estoque haviam 600 caixões na fábrica, que é a produção mensal da empresa. Segundo o empresário, a fábrica não funciona no sábado.

O tenente Erisman, acrescentou que foi mobilizado todo corpo efetivo dos bombeiros de Teresina para conter as chamas, com duas plataforma, duas viaturas, uma viatura de resgate e outra de resfriamento. O fogo já está controlado. "Nós não conseguimos evitar que a fábrica fosse destruída, mas conseguimos evitar que as chamas se espalhassem para casas vizinhas", pontuou.


 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
 (Crédito: Efrem Ribeiro)
(Crédito: Efrem Ribeiro)
Fonte: Com informações do repórter Efrém Ribeiro