Iniciado processo licitatório para reforma do Centro de Zoonoses

As empresas têm até o dia 23 para entregar documentação na SEMA

A Prefeitura de Teresina já deu início ao processo licitatório para a reforma emergencial do Centro de Controle de Zoonoses da capital. As empresas interessadas têm até o dia 23 para entregar a documentação necessária para o certame, que ocorre na sede da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (SEMA), a partir das 9h.

O Centro de Controle de Zoonoses está vinculado à Fundação Municipal de Saúde (FMS), que realizou o levantamento das necessidades e organizou o edital. “A obra, cuja licitação segue a modalidade Tomada de Preço, está orçada em aproximadamente 165 mil reais”, informa Fátima Ferreira, gerente de Engenharia e Arquitetura da FMS. A previsão é que o serviço comece imediatamente após a conclusão do processo licitatório.

 A principal melhoria será a reestruturação das áreas reservadas aos canis e eutanásia. Serão trocadas grades, piso, realizado o retelhamento, pintura e outras mudanças para melhorar a estrutura do espaço reservado aos animais. A sala de eutanásia será reorganizada, com uma ala de espera. “A prioridade é melhorar as condições do local, levando em conta o bem-estar dos animais e os protocolos do Conselho Federal de Medicina Veterinária”, afirma Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS. Além disso, será realizada a estruturação da instalação elétrica, além de outros reparos menores.

 A ação faz parte de uma série de medidas que a Prefeitura de Teresina tem tomado para melhorar a convivência ética com os animais. Além da reforma emergencial, já existe um projeto estrutural para ampliação e transferência dos setores de Correição de grandes e médios animais, canis e eutanásia para outro local. Além disso, está em andamento a criação de um Centro de Castração, importante alternativa para diminuir a superpopulação de gatos e cachorros abandonados.

“É de extrema importância desenvolvermos ações que visam o bem estar dos animais. Desta forma, evitamos problemas futuros tanto para eles como para a sociedade”, destaca o presidente da FMS, Luciano Nunes.




Fonte: Portal MN