Iniciativa qualifica mão de obra para explorar energia eólica

O estado é considerado potencial produtor de energia limpa

Os piauienses despertam para o seu novo potencial de desenvolvimento, e o Governo do Piauí entra fortemente na era da energia renovável fincando os pilares do conhecimento para a exploração e aproveitamento dos investimentos que estão sendo feitos em parques eólicos no Estado, que tem matéria prima de sobra: os ventos. Para garantir mão de obra local na expansão dessa riqueza, a Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc), em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifpi) e a empresa Ômega Energia, está instituindo o curso técnico de sistemas de energias renováveis do Piauí.

A empresa Ômega instalou em Parnaíba, em maio do ano passado, o Parque Eólico Complexo Delta. No município também já há uma unidade do Ifpi e grande potencial eólico, por isso Parnaíba servirá de implantação do projeto piloto de realização do curso. De acordo com a secretária de Estado da Educação e Cultura, Rejane Dias, a ideia é aproveitar os arranjos produtivos de cada região, observando a necessidade do mercado local e qualificar a mão de obra necessária, contemplando alunos egressos do Ensino Médio.

Segundo Rejane Dias, o papel da Seduc nessa parceria é demandar os alunos para a formação e qualificação de profissionais na área de energia eólica, aproveitando esse grande potencial. “É um nicho que cresce e vamos expandir para outras regiões, como Marcolândia, que também tem um grande potencial para o desenvolvimento da energia eólica. Esse é o primeiro passo”, frisa a secretária

O Ifpi garante, na parceria, além do espaço, o próprio curso, que também contará com professores da empresa Ômega Energia. Laboratórios serão instalados na região para que os alunos possam vivenciar como funcionam na prática os mecanismos de geração da energia dos ventos. “Nos laboratórios, vamos ensinar os softwares mais importantes para aplicação no parque eólico, onde será possível simularmos situações reais. Profissionais da Ômega irão lecionar algumas matérias do programa, levando experiências reais para as sala de aula”, explica o diretor da empresa, Antônio Bastos.

Fonte: Ascom