THE está inundada de boatos, diz Jurandy Porto

THE está inundada de boatos, diz Jurandy Porto

Segundo Sigifrói Moreno, a polícia errou em interromper as investigações

O advogado Jurandy Porto e o presidente da OAB-PI, Sigifrói Moreno, falaram ao meionorte.com na tarde desta quarta-feira(26) sobre o embate entre a Polícia Civil e o Ministério Público por causa das investigações do caso Fernanda Lages. Para o advogado Jurandy Porto, o delegado que preside o inquérito Paulo Nogueira, não teria obrigação de indiciar alguém, mas seria básico a indicação sobre um homicídio ou um possível suicídio e admite que o DNA poderá revelar a presença de outras provas materiais. Ele disse ainda que está preocupado com o espírito das pessoas sobre o caso e afirmou: " É preciso aguardar, pois existe uma pressão muito grande. Esse excesso de declarações ou boatos pode criar um ódio das famílias envolvidas. Teresina está inundada de boatos", declarou Jurandy.

O presidente da OAB-PI, Sigifrói Moreno informou que teve contatos com os promotores de justiça e os delegados da Cico com a intenção de tentar conjugar forças para essas instituições conseguirem elucidar o caso. " Será uma união de estrutura e poder de fiscalização por ambas as partes. Ouvi de todos a intenção de conjugar esforços e dar à sociedade a resposta", disse ele.

Segundo Sigifrói Moreno, a polícia errou em interromper as investigações por alegar que o Ministério Público tinha suas convicções. " O Ministério pode ser importante na sugestão de linhas de investigação", finalizou.





Fonte: Marcos Moraes