Instituto Federal ofertará 13,2 mil vagas no Piauí

Presentes em todos os estados brasileiros, os Ifets fazem parte do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE)

O governador Wellington Dias participou, no Palácio do Planalto, em Brasília, da solenidade presidida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva que marcou a sanção do projeto de lei que cria 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifets) no País.

Presentes em todos os estados brasileiros, os Ifets fazem parte do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e aumentam o número de vagas em cursos técnicos de nível médio, em licenciaturas e em cursos superiores de tecnologia.

O Piauí terá um instituto, dez campi e 13,2 mil vagas. A reitoria será instalada em Teresina e os campi, em Angical, Corrente, Floriano, Parnaíba, Paulistana, Picos, Piripiri, São Raimundo Nonato, Teresina e Uruçuí.

Os Ifets surgiram a partir da rede federal de educação profissional composta por Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets), agrotécnicas e escolas vinculadas às universidades. Os institutos nascem com 168 campi e chegarão a 2010 com 311. Durante este período, as vagas serão ampliadas de 215 mil para 500 mil. Metade das vagas dos institutos será destinada ao ensino médio integrado ao profissional, o que possibilita ao jovem estudante a oportunidade de se formar profissionalmente durante essa etapa de ensino.

Na educação superior, receberão destaque os cursos de engenharia e bacharelados tecnológicos, que contarão com 30% das vagas. Outros 20% serão reservados para licenciaturas em ciências da natureza, com o objetivo de reverter o déficit de professores nas áreas de física, química, matemática e biologia. Também será incentivada a realização de cursos de licenciatura de conteúdos específicos da educação profissional e tecnológica como a formação de professores de mecânica, eletricidade e informática.

Os institutos também terão importante papel nas áreas de pesquisa e extensão, além de estimular o desenvolvimento de soluções técnicas e tecnológicas e de estender seus benefícios à comunidade.

Os Ifets terão autonomia, nos limites de suas áreas de atuação territorial, para criar e extinguir cursos, bem como registrar diplomas dos cursos oferecidos mediante autorização do seu Conselho Superior. Os Institutos também exercerão a função de instituições acreditadoras e certificadoras de competências profissionais.

Fonte: Portal Meio Norte, www.meionorte.com