Acrobata recebe alta do hospital nos EUA após sofrer cair em circo

Acrobata recebe alta do hospital nos EUA após sofrer cair em circo

Widny Neves, de 25 anos, deixou a unidade na tarde desta quinta (8). Ela e outras oito jovens caíram de cerca de 7 metros durante apresentação.

A acrobata catarinense que despencou de uma altura de cerca de 7 metros durante uma apresentação de circo nos Estados Unidos recebeu alta do hospital nesta quinta-feira (8). Widny Neves, de 25 anos, deixou a unidade de saúde norte-americana em uma cadeira de rodas e foi para um hotel, como mostrou a reportagem do Jornal Nacional (veja vídeo ao lado). As outras duas brasileiras feridas no acidente, Dayana Costa e Stefany Neves, continuam no hospital, sem previsão de alta. Dayana está em estado grave.

As três brasileiras outras cinco acrobatas sofreram o acidente no domingo (4). No número, eles formam uma espécie de candelabro ou lustre, suspensos apenas pelos cabelos. Uma plataforma que era elevada e suspendia as artistas caiu, lançando os artistas ao chão e ferindo um dançarino que estava embaixo.

Segundo a família, a catarinense de Joinville, no Norte de Santa Catarina, teve ferimentos no pescoço, nas costas e fratura no braço direito. A mãe dela, Griselda Neves, está nos Estados Unidos desde quarta-feira (7) para acompanhar a filha.

"Ela está caminhando. Vitória é pouco, é um milagre", disse a mãe, que vai ficar no país até a filha se recuperar. Já Widny agradeceu o apoio que está recebendo após o acidente. "Obrigado por todo amor e carinho de todo povo brasileiro que está apoiando a gente", disse ela, que espera voltar para o circo.

Família circense

Há 10 anos, a família de Widny possui uma academia de circo em Joinville. O pai da jovem, Roiter Neves, explicou que se trata de um local lúdico, que reúne pessoas para fazerem exercícios relacionados à atividade. Widny nasceu nesse ambiente e desde pequena mostrava interesse. Começou a aprender com o pai.

Mais velha, foi cursar educação física na Universidade da Região de Joinville (Univille) e, em 2008, mudou-se para o Estados Unidos, onde desde 2010, está no Ringling Brothers and Barnum and Bailey Circus.

O acidente

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (8), os diretores do circo onde o acidente ocorreu disseram que até o ano passado o número era com apenas duas artistas. A decisão de aumentar para oito foi tomada em conjunto, entre o circo e o criador da apresentação, o brasileiro Andrei Medeiros.

O gancho que se rompeu era de aço, com capacidade para 4,5 mil kg. O circo disse que ainda não sabe porque ele não aguentou a estrutura e as acrobatas, que no total pesavam 600 kg.

Fonte: G1