Adaga encontrada em tumba de faraó veio do espaço

Pesquisadores encontraram traços de ferro proveniente de meteorito

Pesquisadores concluíram que uma adaga encontrada no sarcófago do faraó Tutancâmon (1327-1336 a.C.) veio, literalmente, do espaço. Em uma análise para determinar a origem do ferro que compõe a arma, os cientistas descobriram que o material é proveniente de um meteorito.

O estudo, feito em parceria pelo Museu Egípcio do Cairo e pelas universidades de Pisa e Politécnica de Milão, foi publicado na revista científica Meteoritics & Planetary Science.

Os pesquisadores escreveram no artigo que a descoberta desta adaga feita com ferro de meteorito é um grande passo na elucidação do misterioso “ferro caído do céu”, relatado em diversos textos egípcios, hititas e mesopotâmicos.

Na própria tumba de Tutancâmon, os cientistas encontraram outro objeto intrigante: um colar peitoral com um amuleto esverdeado em formato de escaravelho, construído com vidro de sílica do deserto. Como este material só existia de forma natural na região desértica da atual Líbia, os pesquisadores supõem que o vidro usado no amuleto tenha sido gerado pelo impacto de um meteorito ou de um cometa nas areias do deserto do Antigo Egito.

A técnica usada pelos pesquisadores para a analisar a adaga não danificou o objeto. Eles realizaram uma forma de análise não invasiva, utilizando um espectrômetro de fluorescência de raios-X, que pode determinar a composição química dos materiais. De acordo com o estudo publicado, a lâmina da adaga encontrada na tumba de Tutancâmon contém cerca de 11% de níquel. Artefatos produzidos com minério de ferro terrestre apresentam índices de, no máximo, 4% de níquel.


Cientistas agora tentam descobrir de que lugar do espaço o material veio (Crédito: Reprodução)
Cientistas agora tentam descobrir de que lugar do espaço o material veio (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações da Galileu