AirAsia não tinha licença para rota voada no dia da queda do avião

AirAsia não tinha licença para rota voada no dia da queda do avião


A AirAsia não tinha licença para voar entre Surabaya e Cingapura no último domingo, dia em que caiu no Mar de Java com 162 pessoas a bordo. Segundo foi revelado pela CNN, a companhia aérea teria aprovação para voar apenas quatro dias da semana, o que não incluiria o dia da tragédia. O ministro do transporte da Indonésia anunciou que uma investigação será realizada e que os voos da AirAsia entre as duas cidades serão suspensos.

Além disso, as operações de outras empresas serão checadas para haver certeza se estão cumprindo contratos de licença. O CEO da AirAsia Indonesia, Sunu Widyatmoko, afirmou para um canal de televisão local que a empresa vai cooperar de forma completa com as investigações e que não iria fazer qualquer declaração até não fossem conhecidos todos os resultados.

As investigações irão focar nas operações da companhia e da administradora do aeroporto de Surabaya, o aeroportuário estatal Angkasa Pura 1. O Ministro do Transporte do país, Ignatious Jonan, descreveu a violação da AirAsia como “séria”. “Como eles puderam voar? (...) Teria que ser a gestora do aeroporto ou no lobby de controle de tráfego aéreo”, afirmou.

Ele ainda disse que a investigação deve durar cerca de uma semana. “Não é complicado. Há uma lista do que deve e não deve ter sido feito”. O ministro revelou que as penalizações envolvem a perda do direito da AirAsia de fazer o percurso entre Surabaya e Cingapura, mas que “depende da evidência da investigação”. Voar sem autorização é um fato raro, segundo o especialista em voos Geoff Thomas. “Se não foi autorizado o voo, a companhia poderia receber implicações legais e de segurança”, disse. “Na maioria das jurisdições, é altamente incomum. Uma companhia aérea terá que solicitar um novo voo”.

Fonte: Terra