Americana de 19 anos que matou pelo menos 22 pessoas afirma que vítimas não mereciam viver

Americana de 19 anos que matou pelo menos 22 pessoas afirma que vítimas não mereciam viver

Miranda Barbour contou que seu primeiro crime aconteceu em um ritual satânico

A jovem de 19 anos, Miranda Barbour, responsável por mais de 22 assassinatos em seis anos confessou, em entrevista ao jornal local The Daily Item de Sunbury, que matou pessoas que considerava não merecerem viver.

Ela explicou que estudava a vida da pessoa e até se tornava amiga da vítima antes de matá-la. Miranda disse ao jornal que não se arrepende do que fez e que se fosse solta, faria de novo.

Os promoteres responsáveis pelo caso da jovem americana buscam pena de morte para ela e seu marido, Elytte Barbour.

Miranda Barbour disse ao que os assassinatos cometidos por ela em parceria com seu marido eram parte de seu envolvimento com uma seita satânica.

O casal foi preso no fim do ano passado, depois de assassinarem o americano Troy LaFerrara, 42, que conheceram através do site Craiglist.

? Eu posso te dizer que ele não deveria ser esfaqueado. Meu marido iria estrangulá-lo.

A jovem de 19 anos também contou que seu primeiro assassinato foi aos 13 anos, depois de entrar para um culto satânico no Alasca. O líder da seita levou Miranda para matar uma vítima que devia dinheiro para ele.

? Ele [o líder] me disse que era a minha vez de matar. Eu odeio armas, não uso. Eu acha que não podia fazer isso. Então, ele veio atrás de mim, pegou minhas mãos e me fez puxar o gatilho. A partir disso, eu não parei mais de matar.

Fonte: r7