Americano que matou leão Cecil aparece em fotos com urso morto

Ele aparece expondo urso preto como troféu

O Dentista norte-americando Walter Palmer, que matou Cecil, o leão mais querido do Zimbábue aparece em novas fotos mostrando o resultado de mais uma caçada ilegal da qual ele participou. Nas fotos o dentista aparece ao lado de um urso preto, morto nos bosques do Estado de Wisconsin (EUA), em 2006.

Image title

De acordo com o jornal The Huffington Post  o dentista havia conseguido autorização para caçar em um condado da região, mas matou o urso preto 64 Km fora do campo.

O jornal cita ainda que Palmer e seus companheiros de caça teriam oferecido suborno para autoridades, após matarem o urso, mas os oficiais não aceitaram e o dentista foi multado e condenado, em 2008, a cumprir pena de um ano de liberdade condicional por ter mentido sobre o local onde o urso foi morto.

O valor pago pelo dentista para conseguir a licença para a caçada teria sido de R$ 100 mil e em sua defesa ele alegou ter confiado nos guias locais durante a caçada.

"Eu não sabia que o leão era famoso e era tido como o animal preferido do parque. Não tinha conhecimento de que o animal portava um localizador, nem que era objeto de estudo”, disse o norte-americano.

Walter Palmer tem paixão pela caça ilegal e por conta disso ele enfrenta graves acusações na Justiça.

O caçador profissional Theo Bronkhorst e o fazendeiro Honest Ndlovuum, acusados de participar da caçada e da morte de Cecil, podem ser condenados até 15 anos de prisão no Zimbábue. O dentista também pode responder pelo mesmo crime, apesar de alegar ‘desconhecimento' sobre a área de caça ilegal.

Palmer é perito em arco e flecha e sempre posta fotos com os animais que mata.

Fonte: R7