Amy Winehouse morreu de overdose de ecstasy em Londres, diz produtor da MTV

Amy Winehouse morreu de overdose de ecstasy em Londres, diz produtor da MTV

Amigos da cantora afirmaram aos tablóides que ela participou de muitas festas nos últimos dias

O produtor da rede de televisão MTV, Danny Panthaki, afirmou que a cantora britânica Amy Winehouse morreu de overdose de ecstasy. "O namorado de uma amiga é policial e foi ele quem encontrou Amy Winehouse morta, foi uma overdose de ecstasy", disse em entrevista ao jornal britânico Sunday Mirror.

Amigos da cantora afirmaram aos tablóides que ela participou de muitas festas nos últimos dias, regadas a drogas e álcool. "Amy passou os últimos sete dias em uma farra enorme e as pessoas estavam dizendo que ela iria beber até a morte", disse um amigo.

Pessoas próximas de Winehouse acreditam que a causa tenha sido a combinação do ecstasy com o álcool. "Havia sempre o perigo de algo assim acontecer. Ela ficava constantemente fora de controle por causa da vodca. Ela bebia garrafa após garrafa, e misturar essas quantidades com drogas é letal", disse outro amigo.

No sábado, vizinhos afirmaram ter escutado gritos vindo da casa da cantora, mas a polícia de Londres disse que não havia marcas de violência no corpo, o que pode descartar a hipótese de uma briga.

Uma autópsia marcada para este domingo deve mostrar os motivos da morte de Amy Winehouse, que aos 27 anos passou a integrar o clube de ícones do rock que morreram com a mesma idade. Entre eles estão Kurt Cobain, Brian Jones, Jim Morrison, Jimi Hendrix e Janis Joplin.

O caso

O corpo da cantora foi encontrado neste sábado (23) em seu apartamento, após o serviço de emergências ter sido chamado por volta do 12h (pelo horário de Brasília, meio da tarde em Londres). A suspeita é de overdose, segundo o tablóide britânico Daily News.

A polícia da região de Camden Square divulgou comunicado confirmando a morte. "Fomos chamados devido à descoberta de uma mulher morta. As circunstâncias da morte serão investigadas. Num primeiro momento, não sabemos explicar", encerrou a mensagem.

A carreira de Amy Winehouse foi marcada por escândalos e polêmicas, que, em sua maioria, envolviam problemas com drogas e alcoolismo. Por causa disso, em diversos shows foi vaiada, como em recente apresentação em Belgrado, na Sérvia, porque o público não entendia as músicas que ela estava cantando.

A última aparição pública da cantora foi na última quarta-feira (20), no iTunes Festival, em Londres. A cantora abraçou sua afilhada Dionne Bromfield e, ao microfone, pediu que as pessoas comprassem o álbum da adolescente, Good For The Soul, lançado este mês. Amy se apresentaria no festival TMN em agosto, mas devido aos problemas com álcool e drogas acabou sendo substituída pelo rapper Snoop Dogg.

A morte de Amy Winehouse aos 27 anos coloca ponto final em uma das mais inconstantes trajetórias da música contemporânea. Com talento vocal impressionante, a cantora britânica foi unanimidade em duas características opostas: talento e polêmicas. Com capacidade vocal inquestionável, suas performances eram apenas atrapalhadas por seu principal problema: o abuso de álcool e drogas.

Amy fez uma carreira repleta de músicas pessoais e cativantes, escândalos por seu comportamento e envolvimento com drogas e álcool. Nos últimos tempos, ela fez poucos shows e foi criticada pela indústria musical: além de desapontar alguns fãs ao fazer apresentações muito curtas, muitos especialistas afirmaram que sua potência musical, característica marcante da cantora, estaria menor.

No dia 18 de junho deste ano, Amy fez seu último show, em Belgrado, na Sérvia. A cantora mal conseguiu se apresentar porque estaria muito bêbada, chegou a derrubar o microfone no chão e teria sido vaiada pelo público. Após a malograda apresentação, Amy cancelou dois shows na Turquia e na Grécia, e, posteriormente, outras etapas de sua turnê europeia. Seus representantes alegaram "problemas de saúde".



















Fonte: Terra, www.terra.com.br