Após acordo, oposição disse que o presidente da Ucrânia deixou Kiev

Klitschko anunciou que apresentará no Parlamento uma resolução para exigir a renúncia de Yanukovich

O líder da oposição ucraniana Vitaly Klitschko disse neste sábado (22) que o presidente Viktor Yanukovich deixou Kiev e que o país deve realizar eleições antecipadas, segundo a agência Reuters.

Klitschko anunciou que apresentará no Parlamento uma resolução para exigir a renúncia de Yanukovich, o que permitiria a convocação de eleições presidenciais antecipadas.

"Hoje ele deixou a capital", disse Klitschko em uma sessão de emergência do Parlamento. "Milhões de ucranianos querem apenas fazer uma escolha nas eleições presidenciais e parlamentares antecipadas."

Uma fonte de segurança disse à Reuters que Yanukovich está no país. "Tudo ok com ele", disse a fonte. "Ele está na Ucrânia. " Questionado sobre se o líder em apuros estava na capital, a fonte respondeu: "Eu não posso dizer."

Ganna German, uma de suas colaboradoras, disse que Yanukovytch está em Jarkiv, cidade do leste da Ucrânia, segundo a AFP. "O presidente cumpre com suas funções constitucionais. Vai falar hoje pela televisão em Jarkiv", disse.

Por outro lado, o deputado da oposição Mikola Katerinchuk disse que Yanukovich prometeu renunciar durante uma conversa telefônica com o líder opositor Arseni Yatseniuk.

"Yatseniuk exigiu em nome de Maidan (a praça da Independência, epicentro dos protestos) a renúncia do presidente. Yanukovytch prometeu fazer isto por escrito e estamos esperando que ele faça", declarou Katerinchuk à imprensa.

Após o acordo alcançado na sexta para acabar com a violência armada em Kiev, o Parlamento aprovou uma lei que permitirá a libertação da ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko, que está presa e é a principal adversária de Yanukovich.

Além disso, destituiu de maneira fulminante o ministro do Interior, Vitaliy Zakharchenko, acusado pela oposição de ordenar em novembro a repressão violenta das manifestações pacíficas.

Casa abandonada e escritório tomado

As autodefesas do Maidan, linha de frente dos ativistas na resistência à polícia durante os violentos distúrbios desta semana em Kiev, ocuparam as ruas do centro da capital e dos acessos das administrações públicas, incluíndo o palácio presidencial.

Além disso, os manifestantes tomaram o controle de Mezhigorie, a residência de campo do presidente Viktor Yanukovich, localizada a cerca de 20 quilômetros de Kiev, e permitiram que vários jornalistas entrassem no imóvel, informou o "Canal 5" da televisão local.

A guarda da residência, que vigia o acesso ao lado de vários ativistas, afirmaram que o local, propriedade de um funcionário do gabinete presidencial, poderá ser livremente visitada pelo público. Jornalistas estavam entrando livremente, segundo a imprensa local.

Em Kiev, pequenos grupos de manifestantes armados e protegidos com capacetes vigiam e controlam os acessos à Rada Suprema (Parlamento), à sede do governo e à administração presidencial.

Todos estes edifícios se encontram no chamado bairro governamental, cenário dos recentes distúrbios e protegido até esta sexta pelas forças de segurança do Estado.

Fonte: G1