Após casos de sífilis, pausa na indústria pornô pode durar 90 dias

Apesar do alerta que a indústria dos filmes pornô se encontra, Fattorosi contou que muitos atores continuam trabalhando

Uma semana após casos de sífilis entre atores pornôs ameaçar a indústria de filmes eróticos nos Estados Unidos, produtores dizem que na Europa esse mercado pode parar por até 90 dias, bem mais que os 15 dias estimados anteriormente. As informações são do site The Huffington Post.

O advogado Michael Fattorosi disse que diante de um surto da doença sexualmente transmissível o tempo será de no mínimo três meses, tempo necessário para os testes ficarem prontos.

Apesar do alerta que a indústria dos filmes pornô se encontra, Fattorosi contou que muitos atores continuam trabalhando. "Um ator masculino disse que o surto de sífilis tem sido uma "mina de ouro", porque ele foi um dos poucos artistas do sexo masculino que estão dispostos a trabalhar", contou o advogado.

Em Los Angeles, nos Estados Unidos, estima-se que nove atores tenham apresentado resultado positivo nos testes da doença. Há uma semana, o The Huffington Post publicou uma nota de uma organização que garante a saúde e segurança dos atores (APHSS), que divulgou em um blog a notícia de que alguns profissionais estariam com a doença.

Devido a esses rumores, a APHSS começou a realizar exames de sífilis em alguns atores antes da data prevista - normalmente essa prática preventiva acontece em setembro. O Departamento de Saúde Pública de Los Angeles confirmou que alguns diagnósticos tiveram resultado positivo.

Fonte: Terra