Atentados matam mais de 130 pessoas na Síria neste domingo

A Síria sofre há quase cinco anos.

Uma série de atentados neste domingo (21) nas cidades de Homs e Damasco, na Síria, deixou 139 mortos, informa o Observatório Sírio de Direitos Humanos. Segundo a ONG, ao menos 59 morreram e dezenas ficaram feridas no centro da cidade de Homs; outros 80 não resistiram a uma série de explosões na capital síria.

Homs


A ONG informou que os atentados foram realizados com dois veículos carregados de explosivos, no bairro Al Zahraa. Os habitantes dessa região de Homs é, em sua maioria, alauíta, um minoritário credo xiita ao qual pertence o presidente sírio, Bashar al Assad.

Além disso, a ONG afirmou que entre os mortos estão pelo menos 28 civis. Não informou se os pertencem às milícias do regime. Segundo a Reuters, a televisão estatal, citando o governador de Homs, Talal al Sarazi, informa que pelo menos 25 pessoas morreram no duplo atentado. Talal al Sarazi disse que o atentado aconteceu na rua 60, perto da entrada do bairro de Al Armam.

O Observatório não excluiu a possibilidade de que aumente o número de vítimas fatais entre as dezenas de feridos, vários dos quais estão em estado grave.

No dia 26 de janeiro, a mesma rua foi cenário de um duplo atentado realizado pelo Estado Islâmico com um carro-bomba, que foi seguido de outro cometido por um suicida com um cinto de explosivos.

O Estado Islâmico indicou em um comunicado que o duplo ataque foi realizado por dois de seus membros conduzindo "dois carros-bomba que visaram locais com grande concentração de pessoas". Trata-se do pior atentado na cidade desde outubro de 2014, quando 55 pessoas, incluindo 49 crianças, morreram em frente a uma escola.

Damasco


O Observatório Sírio de Direitos Humanos também atestou múltiplas explosões no distrito de Damasco neste domingo (21). Foram quatro explosões próximas a um santuário xiita onde está o mausoléu de uma neta de Maomé, diz a ONG.

A TV estatal falou em três atentados, um deles feito por um carro-bomba. "Os atentados coincidiram com a saída de uma escola, por isso morreram vários alunos", informou a televisão.

Segundo a France Presse, ao menos, 60 estabelecimentos comerciais ficaram destruídos e uma grande quantidade de veículos queimados. O número de feridos pode aumentar. "Ao menos 180 pessoas estão feridas, dezenas delas em estado crítico", informa a ONG.

No mês passado, ataques suicidas reivindicados pelo Estado Islâmico mataram 60 pessoas no distrito de Damasco onde está localizado o mais sagrado templo xiita.

A Síria sofre há quase cinco anos com um conflito que causou mais de 260 mil mortos, segundo o Observatório.


Ataques (Crédito: Divulgação)
Ataques (Crédito: Divulgação)
Fonte: Com informações do G1