Por insulto, homem é condenado a 500 chibatadas na Arábia Saudita

A polícia o acusa de ter insultado companheiros do profeta Maomé, segundo a imprensa australiana

Um australiano de 45 anos foi condenado a receber 500 chicotadas e a um ano de prisão pela justiça da Arábia Saudita por blasfêmia, informou o governo de Canberra.

Mansor Almaribe foi detido na cidade de Medina em 14 de novembro, quando participava na peregrinação anual muçulmana, o "hajj". A polícia o acusa de ter insultado companheiros do profeta Maomé, segundo a imprensa australiana.

Segundo o ministério das Relações Exteriores australiano, Almaribe foi condenado na terça-feira. "O embaixador da Austrália está em contato com as autoridades sauditas depois que um australiano de 45 anos foi condenado por um tribunal da Arábia Saudita a um ano de prisão e 500 chicotadas", afirmou um porta-voz.

Um funcionário consular estava presente no momento do veredicto. Mansor Almaribe, que mora em Shapparton (Victoria, sul da Austrália), a princípio foi condenado a dois anos de prisão, antes da pena ser reduzida a um ano.

O filho mais velho do condenado, Jamal, afirmou ao jornal "Melbourne Age" que o pai estava lendo e orando com um grupo de peregrinos quando foi abordado pela polícia religiosa.

O homem, que tem cinco filhos, é muito pobre para pagar um advogado, segundo o "Melbourne Age". Além disso, sofre de diabetes e tem uma doença cardíaca. "Eu não acredito que sobreviva a 50 chicotadas", disse outro filho do condenado, Mohammed.

Fonte: g1, www.g1.com.br