Avalanches no Afeganistão deixam 95 mortos

Afeganistão sofre com frequência desastres naturais e fatais, como os deslizamentos de terra que causaram a morte de 2.000 pessoas em maio do ano passado.

Mais de 90 pessoas morreram no Afeganistão devido às piores avalanches no país nos últimos 30 anos, afirmaram autoridades nesta quarta-feira (25), e a forte nevasca deve permanecer por pelo menos mais dois dias após um inverno inesperadamente seco que despertou temores de uma estiagem.

Autoridades alertaram sobre uma emergência humanitária iminente nas áreas mais atingidas pelo mau tempo, depois que a neve atingiu duramente alguns vilarejos e provocou o bloqueio de rodovias.

"Não víamos tanta neve assim, ou tantas avalanches, há 30 anos", disse Abdul Rahman Kabiri, governador interino da província montanhosa de Panjshir, a norte de Cabul, onde 92 pessoas morreram devido às avalanches.

"Se o governo central não fornecer apoio humanitário, maquinário e comida logo, isso vai se transformar em um desastre", afirmou, acrescentando que mais 26 pessoas ficaram feridas.

Apesar de provocar o sofrimento de tantas pessoas, a neve é crucial para o Afeganistão, país em que a maior parte da população rural dependente da agricultura espera o derretimento da neve nas montanhas para irrigar as plantações na primavera e no verão.

"Agora estamos otimistas sobre a situação da agricultura no país", disse o porta-voz do Ministério da Agricultura, Lotfullah Rashid. "Teremos neve e chuva por vários dias, então o país não vai enfrentar uma escassez de água ao longo do ano."

Fonte: Terra