Avião da FAB leva alimentos para o Haiti

Avião decolou há pouco da Base Aérea de Brasília com bombeiros e militares

Um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) decolou há pouco da Base Aérea de Brasília com bombeiros e militares que vão participar dos resgates a vítimas do terremoto em Porto Príncipe, capital do Haiti --cidade mais afetada pelo terremoto de 7 graus de magnitude desta terça-feira (12). O avião levou 51 bombeiros --30 do Rio de Janeiro e 21 do Distrito Federal --além de três médicos e três enfermeiros militares.

Também foram enviadas ao Haiti 17 toneladas de alimentos, água, remédios e equipamentos de resgate. Quatro cães farejadores seguiram na aeronave para ajudar na busca de corpos e sobreviventes da tragédia.

Não há um número oficial de vítimas, mas autoridades haitianas temem que elas possam chegar aos milhares. Entre as mortes confirmadas por outros governos, há 15 brasileiros --14 militares e a médica e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns.

O avião, que deixou o Rio na manhã de hoje, seguiu de Brasília para Boa Vista, onde faz uma última escala antes de aterrissar em Porto Príncipe.

A decolagem estava prevista para esta quarta-feira, mas foi adiada para permitir que o mesmo avião levasse as 17 toneladas de água e alimentos de primeira necessidade embarcadas no Rio de Janeiro, assim como parte das equipes que vão ajudar nos resgates.

A viagem rumo ao Haiti demora 13 horas e o avião deve chegar apenas na sexta-feira ao país do Caribe.

A FAB deve enviar também nesta quinta-feira o seu Hospital de Campanha (HCAMP) para auxiliar no atendimento aos feridos. O HCAMP é um hospital móvel, utilizado para curto período de internação e destinado a atender feridos em combate. Ele é composto de barracas climatizadas e que podem ser montadas em diversas configurações, dependendo da necessidade.

No Haiti, a unidade estará em sua configuração completa, com módulos adicionais para internações de curto período, além dos que servem ao atendimento ambulatorial. O HCAMP atenderá assim urgências e emergências, incluindo cirurgias e atendimento a pacientes graves.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br