Bebê nasce 54 dias após mãe ter morte cerebral

nicialmente, os médicos pensaram que ela teve um derrame, mas um exame de imagem mostrou que a americana de 22 anos tinha uma hemorragia intracraniana fatal

Image title

Moradora de Omaha, no estado de Nebraska, Karla Perez estava com 22 semanas de gravidez quando foi levada ao Centro de Saúde Metodista com uma hemorragia no cérebro, no último dia 8 de fevereiro.

Inicialmente, os médicos pensaram que ela teve um derrame, mas um exame de imagem mostrou que a americana de 22 anos tinha uma hemorragia intracraniana fatal. Ela foi declarada morta em seguida. A família de Karla, então, convenceu a equipe do hospital a mantê-la viva, para dar uma chance ao bebê, que não teria sobrevivido se fosse removido do útero da mãe com 22 semanas.

A cesárea aconteceu no último 4 de abril, mas as informações só foram divulgadas recentemente. De acordo com a imprensa americana, este foi o primeiro parto no país de uma mulher declarada morta desde 1999.

Ao longo de mais de sete semanas, cerca de 100 funcionários de saúde mantiveram o corpo de Karla trabalhando o suficiente para sustentar o crescimento dos órgãos do pequeno Angel.

“Com 22 semanas, o bebê não pode sobreviver fora do útero, então se a gente decidisse dar uma chance de sobrevivência ao bebê Angel, teríamos que prolongar a gravidez pelo máximo de tempo possível,” disse durante uma coletiva de imprensa o médico Todd Lovgren, segundo o "Washington Post". “A família nos pediu para prolongar a vida de Karla, para o bem de Angel".


Fonte: OGlobo