Bombardeio da Otan mata 11 crianças, diz governo afegão

Ataque foi realizado no sábado na região leste do país

Um bombardeio da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) realizado neste sábado (6) na região leste do Afeganistão matou 11 crianças e uma mulher, informaram neste domingo (7) as autoridades afegãs.

Procurado pela AFP, um porta-voz da Otan apresentou uma versão diferente e disse que até 10 pessoas - entre elas mulheres e crianças ficaram feridas, "mas não morreram" na operação, na instável província de Kunar.

Mortes de civis têm sido uma fonte de atrito entre o presidente afegão Hamid Karzai e seus apoiadores internacionais.

De acordo com Abdul Zahir, governador do distrito de Shigal, onde aconteceram os combates, os moradores levaram 10 corpos de crianças a Asad Abad, capital de Kunar, e seis mulheres foram atendidas no hospital provincial.

Sayed Rahman, secretário de Segurança de Shigal, disse que o bombardeio também matou uma mulher.

Abdulqahar Balkhi, porta-voz dos talibãs, lamentou no Twitter a morte de "22 civis inocentes convertidos em mártires em um bombardeio dos terroristas americanos e da Otan", incluindo "15 membros da mesma família".

Os talibãs têm por hábito exagerar o número de vítimas civis em operações da coalizão, enquanto as tropas estrangeiras tendem a divulgar balanços muito reduzidos.

Americanos mortos

Também neste sábado, cinco americanos morreram em ataques no Afeganistão, entre eles uma diplomata. Três soldados dos EUA também morreram na explosão. Quatro outros diplomatas norte-americanos foram feridos, um gravemente. O mesmo ataque matou um funcionário civil do Departamento de Defesa afegão, além de civis afegães.

Outro ataque, no leste do Afeganistão, matou um civil norte-americano que prestava serviço ao governo dos EUA, segundo a Otan.

Fonte: G1