Casa alugada pela internet é destruída após grande orgia induzida por droga

A empresa, uma multinacional presente em cerca de 34 mil cidades, garante que estes casos são raros.

Quando Mark e Star King colocaram a sua casa na plataforma de arrendamento Airbnb estavam longe de imaginar o que lhes ia acontecer. O “pesadelo” que o site Mashable descreve parece uma cena tirada de um filme para e protagonizado por adolescentes.

Image title


O casal disponibilizou a sua casa em Sage Hill, na cidade de Calgary, no Canadá. O procedimento foi o habitual para quem usa o Airbnb. Seria apenas um arrendamento, por alguns dias, a um grupo de quatro pessoas que iriam a um casamento naquela cidade. A história não levantou quaisquer suspeitas a Mark e Star.

Só que ao fim de alguns dias, escreve a Mashable, Mark e Star King receberam uma chamada dos vizinhos avisando-os de que algo bizarro acontecia dentro da casa. Os hóspedes não estavam num casamento, mas a dar uma festa para mais de cem pessoas.

A Airbnb diz que os “danos à propriedade são muito raros”, mas desta vez aconteceu. Quando Mark e Star chegaram, alarmados, já a polícia tinha sido chamada ao local para tomar conta da ocorrência. Encontraram a casa completamente virada do avesso, suja, desarrumada, com móveis e objectos destruídos.

Enquanto a polícia fazia o registo dos danos, alguém filmou o aparato. O vídeo amador, publicado no Youtube, mostra a sala completamente desarrumada, o sofá destruído, almofadas rasgadas, garrafas partidas, restos de comida espalhados pelo chão, por cima das mesas e bancadas, um corredor entupido de sacos e lixo, louça usada e a cinza de cigarros por todo o lado.

As casas de banhos estavam cheias de preservativos. A destruição do interior da casa foi tal que, segundo Mark King, um dos polícias atribuiu o cenário a uma “orgia induzida por droga”. “Quase ficámos anestesiados com o fumo, o cheiro”, descreveu o dono da casa a uma televisão local.

O “pesadelo” obrigou a Airbnb a accionar a chamada “garantia ao anfitrião”, para protecção contra dados à propriedade alvo de roubo, vandalismo ou “negligência grosseira”. A empresa, uma multinacional presente em cerca de 34 mil cidades, garante que estes casos são raros. “Hóspedes e anfitriões verificam as suas identidades ao ligar-se às suas redes sociais e a procurar as suas identidades oficiais ou a confirmar informações pessoais”, lê-se no site da empresa.

Um porta-voz da Airbnb, Jakob Kerr, assegurou que os inquilinos foram excluídos do serviço e garantiu que o casal será reembolsado, ao abrigo da garantia até um milhão de dólares (cerca de 890 mil euros).

Vídeo:

Fonte: UOL