Casal esfaqueia morador de rua e esfrega sal em suas feridas; saiba

Crime teria sido inspirado em cena de um filme de terror australiano; sem-teto morreu em seguida

Um morador de rua foi morto em Chester, no Reino Unido, após ser torturado de forma macabra por um casal. O homem e a mulher são acusados de levar o sem-teto para um apartamento e realizar uma sessão de tortura inspirada em um filme de terror.

No último domingo (3), a Justiça britânica começou a julgar o crime, que aconteceu em 31 de agosto do ano passado.

Naquele dia, o morador de rua Andrew Nall, de 53 anos, foi espancado, chutado e esfaqueado dezenas de vezes em um apartamento em Eversley Par, bairro de Chester. Os acusados pela sessão de tortura são Christine Holleran, de 50 anos, e Gary George, de 41.

Nall foi encontrado com ferimentos e cortes pelo corpo. Algumas lesões indicam que ele teria sido torturado. Além de ter a pele esfregada com sal, uma substância cremosa foi colocada dentro de seus olhos.

O promotor Ian Unsworth, do Ministério Público local, afirmou ao tabloide britânico Daily Mail que o responsável pelo crime foi George, um fã de filmes de terror violentos.

A sessão de tortura praticada contra o morador de rua, segundo Unsworth, lembra um dos filmes favoritos de George, The Loved Ones (que, em português, significa "os amados"). Na produção australiana, um homem é esfaqueado várias vezes e tem sal esfregado em suas feridas.

Unsworth contou ao Daily Mail que não há dúvidas sobre a responsabilidade do casal.

? [Esse crime] não é um assalto que deu errado. Não há dúvidas de que George e Christine estavam no apartamento na noite em questão.

No entanto, segundo o promotor, não é possível afirmar quando Nall foi morto.

Versões confusas

A acusação também confirma que, após o assassinato, ambos foram ao supermercado utilizando o dinheiro que era da vítima. Além disso, Gary George também é acusado de atacar outra pessoa com uma garrafa dez horas depois, no centro da cidade de Chester.

Apesar do relacionamento com uma mulher chamada Maria Griffin, o acusado vivia em seu apartamento com Christine, que o teria ajudado no crime. No ano passado, a polícia foi chamada diversas vezes por conta dos conflitos do casal. A mulher afirmou que eles estavam se casando.

No dia 30 de agosto, um dia antes do morador de rua ser torturado, George e Christine se desentenderam durante um trajeto de táxi no início da tarde. Ela falava sobre algo que ele teria feito e que ela jamais perdoaria. No final do mesmo dia, Andrew Nall não foi mais visto.

Mais tarde, o casal saiu para beber. George disse ao rapaz da loja de bebidas que Christine tinha sido estuprada no dia anterior e que ele faria vingança.

As versões dos acusados relatadas à polícia são confusas e ambos negam o crime. O julgamento ainda não se encerrou e deve durar mais três semanas.

Fonte: r7