Casal que matou filho no Reino Unido tem prisão perpétua de júri

Casal que matou filho no Reino Unido tem prisão perpétua de júri

Menino de quatro anos morreu após ser espancado com "crueldade imaginável" e ficar 33 horas sem comer

Um casal foi condenado nesta sexta-feira (2) à prisão perpétua por um tribunal britânico por conta do brutal assassinato do filho de quatro anos, que foi espancado e ficou sem comer até a morte, em atos, segundo a juíza, de uma "crueldade inimaginável".

Magdalena Luczak, de 27 anos, e seu marido, Mariusz Krezolek, de 34 anos, ambos de nacionalidade polonesa, deverão cumprir pelo menos 30 anos de prisão antes de terem direito à revisão da pena.

Durante o julgamento, os acusados, que tinham problemas com álcool e drogas, negaram os crimes e se acusaram mutuamente da morte da criança.

O pequeno Daniel Pelka morreu em seu quarto em março de 2012 após permanecer 33 horas fechado sem calefação e com um ferimento na cabeça causado por seus pais, que o maltratavam continuamente, segundo foi revelado durante o processo judicial.

A criança era submetida, constantemente, a surras e humilhações, e estava havia seis meses desnutrido, antes de receber o golpe que finalmente causou sua morte.

Este caso comoveu o Reino Unido por sua extrema crueldade e as autoridades de Coventry (centro da Inglaterra) iniciaram uma investigação sobre a atuação dos serviços sociais.

Embora os professores da criança tenham alertado sobre os roxos e machucados pelo corpo, aparentemente os agentes de proteção de menores não tomaram as atitudes necessárias para salvá-lo.

Ao ditar a sentença, a juíza do tribunal de Birmingham disse que o casal tinha cometido atos de "uma brutalidade incompreensível" e "crueldade inimaginável".

Antes de ditar um mínimo de 30 anos de prisão para cada um, ressaltou que, nas nove semanas do julgamento, não tinha observado na mãe e no padrasto "nenhum sinal de arrependimento".

Fonte: Agencia EFE