Chile: diminui esperança de achar sobreviventes de acidente aéreo

Os corpos de quatro vítimas resgatados foram levados para Santiago

Diminuiu a esperança de encontrar sobreviventes no acidente com o avião militar chileno que caiu na sexta-feira no arquipélago de Juan Fernández com 21 pessoas a bordo. Os corpos de quatro vítimas já encontrados foram levados para Santiago. "Nunca perdemos a fé, mas não quero criar falsas esperanças", afirmou o presidente chileno, Sebastián Piñera, em um claro reconhecimento de desalento que começou a imperar, embora se mantenham os esforços para localizar o avião.

A aeronave, um CASA C-212, caiu às 17h48 após duas tentativas de aterrissagem em meio a fortes ventos na ilha Robinson Crusoé, a principal do arquipélago, a 670 km da costa chilena. O avião da Força Aérea do Chile (FACH), pilotado pela tenente Carolina Fernández, de 26 anos e considerada uma experiente piloto, não tinha condições de retornar ao continente após um voo de três horas, fato que obrigou a tripulação a tentar descer no arquipelago, explicou a instituição.

No voo estava Felipe Camiroaga, um popular apresentador da TV chilena e o empresário e filantropo Felipe Cubillos, um dos incentivadores da organização criada para apoiar os trabalhos de reconstrução após o terremoto de fevereiro de 2010. Uma equipe da rede estatal de TV TVN e integrantes da citada organização de Cubillos, além de funcionários do Conselho da Cultura e da FACH, também estavam no voo.

Um destes últimos, o cabo Flavio Oliva, é árbitro assistente da segunda divisão do futebol profissional chileno, contou Pablo Pozo, do Comitê de Árbitros. Segundo ele, Oliva estava designado a apitar o jogo deste domingo entre Deportes Copiapó e Deportes Antofagasta, mas acabou liberado da partida por causa do compromisso com a missão da FACH. Felipe Cubillos, seus colaboradores e a equipe de TV iriam realizar atividades relacionadas à reconstrução do povoado da ilha, que foi duramente atingida pelo tsunami que seguiu o terremoto de 2010.

Buscas

Logo após a tragédia foi iniciada uma operação de busca com aviões Hércules C-130, Twin Otter e CASA C-212 da FACH e da Marinha, mais uma aeronave do Exército, duas fragatas e outra embarcação da Marinha, ambas com helicópteros. Navios mercantes que estão na região e pesqueiros também foram avisados e estão ajudando nas tarefas de busca. A operação conta com a participação de mergulhadores e equipamentos de alta tecnologia para detecção e busca. Até agora foram localizados quatro corpos (dois de mulheres e dois de homens), um pela Marinha e três por barcos pesqueiros da ilha.

Na tarde deste sábado, um Hércules C-130 que transportava material e equipes de apoio à operação precisou retornar a Santiago por causa de um problema no sistema hidráulico que o impediu de aterrissar na pequena pista da ilha. As operações estão sendo coordenadas na região pelo ministro da Defesa, Andrés Allamand, que é cunhado do empresário Felipe Cubillos e pelo comandante-em-chefe da FACH, Jorge Rojas.

Em Santiago, o general da FACH Ricardo Gutiérrez confirmou que durante a tarde um avião Twin Otter decolou com os quatro corpos resgatados. Assim que a aeronave aterrissar na base militar da capital chilena, os corpos serão entregues ao Departamento Médico Legal, que deve fazer os exames para identificação e a autópsia.

Condolências

Após uma reunião sobre a crise na educação, o presidente chileno Sebastián Piñera foi até os estúdios da TVN, onde considerou "extraordinariamente grave" o acidente que, na sua opinião, "toca o coração e a alma de todos os chilenos". Piñera ofereceu seu carinho aos familiares das vítimas. O acidente despertou manifestações de solidariedade e condolências de diversas personalidades do mundo todo, entre eles o papa Bento XVI, que enviou um telegrama ao arcebispo de Santiago, Ricardo Ezzati, para transmitir seus pêsames pelas vítimas.

O chanceler argentino, Héctor Timerman, que assiste em Valparaíso a um encontro comemorativo da Carta Democrática da Organização dos Estados Americanos, manifestou "toda a solidariedade argentina pelo acidente aéreo que enluta o país". Por sua vez, o presidente peruano, Ollanta Humala, enviou uma carta a seu colega do Chile na qual manifestou "a solidariedade do Governo e do povo peruano com o país neste momento de dor e tristeza", informou comunicado da Chancelaria em Lima.

Também se manifestou o jornalista e escritor peruano Jaime Bayly, amigo pessoal de Felipe Camiroaga, que escreveu na rede social Facebook: "Te devo tantos risos, Felipe. Que os deuses e os falcões te levem a voar com eles".

Fonte: Terra, www.terra.com.br