Ciclone mata um e causa remoção de 800 mil pessoas em Bangladesh

Ciclone Mahasen ameaça também Mianmar, onde houve 160 mil remoções

O ciclone Mahasen tocou a terra nesta quinta-feira (16) na costa de Bangladesh, onde centenas de milhares de pessoas abandonaram as casas, enquanto a vizinha Mianmar permanece em estado de alerta, em um clima de medo e desconfiança.

"O ciclone Mahasen começou a cruzar a costa Patuakhali às 9h" (0h de Brasília), declarou Shamsuddun Ahmed, vice-diretor do departamento meteorológico de Bangladesh.

"Não é um ciclone muito violento, não ganhou força na última parte da viagem antes de afetar a costa", disse.

O epicentro do fenômeno está no Golfo de Bengala e pode atingir a costa de Chittagong, a segunda maior cidade do país.

Um homem morreu afogado em um distrito da costa, segundo as autoridades.

O governo de Bangladesh anunciou ter ordenado o envio de mais de 800.000 pessoas a 2.000 abrigos. As pessoas afetadas moram em sua maioria na região de Chittagong, a mais exposta ao ciclone.

Mas um funcionário do governo da ilha de Nijhum Dwip (sul), Mohamad Mehrajudin, disse que muitos moradores das zonas rurais se negaram a deixar suas casas pelo medo de roubos.

Segundo a ONU, mais de oito milhões podem ser afetadas pelo ciclone na área de fronteira entre Mianmar e Bangladesh.

Em Mianmar, as autoridades também adotaram medidas de precaução com o objetivo de abrigar temporariamente mais de 166.000 pessoas no estado de Rakhine (oeste), em sua maioria muçulmanos da etnia apátrida rohingya.

Mas a situação é muito tensa na região, onde os confrontos entre budistas da etnia rakhine e os rohingyas no ano passado deixaram quase 200 mortos. Atualmente 140.000 deslocados vivem no estado em campos improvisados em péssimas condições.

Fonte: G1