Com destroços de avião da Malaysia espalhados por 15 km, resgate de corpos pode demorar dias

Com destroços de avião da Malaysia espalhados por 15 km, resgate de corpos pode demorar dias

Um repórter da "Associated Press" contou 22 corpos próximos ao epicentro da queda do avião.

O resgate e identificação dos 295 passageiros e tripulantes do voo MH17, da Malaysia Airlines, podem demorar dias em razão do estado e localização dos corpos --há destroços do avião espalhados por até 15 km. Após ser abatido por um míssil, o Boeing 777 caiu em uma área rural na cidade de Grabovo, no leste da Ucrânia e próximo à fronteira com a Rússia. Não há sobreviventes.

Um repórter da "Associated Press" contou 22 corpos próximos ao epicentro da queda do avião. Outro correspondente afirmou ter visto partes de corpos a mais de 500 metros desse ponto. Uma repórter do NYT relatou que alguns corpos estavam intactos e ainda nos assentos do avião.

Segundo relato de Harriet Salem, repórter do "Guardian", no local do acidente é possível avistar partes de corpos dos passageiros espalhados junto ao que restou da fuselagem do avião. "Os restos do que parece ser uma jovem foram arremessados a 500 metros do epicentro do acidente, enquanto um pé desmembrado pode ser visto na estrada que leva à vila", descreve.

Um morador local, identificado apenas como Alexandre, estava trabalhando a cerca de cem metros da queda do avião e disse que teve medo de que ele caísse sobre sua cabeça. Outro fazendeiro disse que estava em seu trator quando ouviu a explosão. "Então vi o avião cair no chão e se partir em dois", contou.

Outros moradores pensaram que um bombardeio estava acontecendo. Um casal disse que foi jogado no chão com o impacto subsequente à explosão do avião. A casa deles e parte do quintal ficaram danificadas.

Noah Sneider, correspondente que colabora para o "New York Times", afirmou no Twitter ter visto corpos "por toda a parte". "Isso é um desastre absoluto", lamentou em um post.

De acordo com o vice-presidente da Malaysia Airlines, Huib Gorter, o voo MH17 tinha 154 holandeses, 27 australianos, 23 malasianos, 11 indonésios, seis britânicos, quatro alemães, quatro belgas, três filipinos e um canadense. Outros 47 passageiros ainda não tiveram a nacionalidade divulgada. Os 15 tripulantes eram da Malásia.

A aeronave ia de Amsterdã (Holanda) para Kuala Lumpur (Malásia) com 295 pessoas. O avião levava 280 passageiros, dos quais 80 eram crianças. A lista oficial dos passageiros ainda não foi divulgada. (Com agências)


Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas


Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Passaportes americanos, alemães e holandeses são achados em local da tragédia que matou 295 pessoas

Fonte: UOL