Copiloto de avião desaparecido tentou ligar do celular, diz jornal malaisiano

Autoridades governamentais não puderam ser imediatamente contatadas para comentar a informação

Investigadores do desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines suspeitam que o copiloto da aeronave tentou fazer uma ligação com seu celular depois que o avião foi desviado da rota, disse neste sábado o jornal malasiano "New Straits Times" citando fontes não identificadas.


Bebê vai ao tribunal no Paquistão

A publicação citou fontes da investigação segundo as quais a tentativa de ligação do copiloto Fariq Abdul Hamid foi registrada por uma torre de celular enquanto o avião estava a cerca de 200 milhas náuticas a nordeste da costa oeste do Estado de Penang. A região foi o último local em que o radar fez contato com o avião desaparecido, às 2h15 da manhã de 8 de março.

"A torre da empresa de telecomunicações registrou a ligação que ele estava tentando fazer. Mas a ligação foi cortada porque a aeronave voava rapidamente, e não entrou na cobertura de outra torre", disse o "New Straits Times" citando uma fonte não identificada.

Autoridades governamentais não puderam ser imediatamente contatadas para comentar a informação. O "New Straits Times" citou o ministro dos Transportes, Hishammuddin Hussein, segundo o qual a informação precisaria ser verificada.

Mas ele questionou a notícia, dizendo que se isso tivesse acontecido, "nós já teríamos ficado sabendo antes".

O jornal citou outras fontes ligadas à investigação, afirmando que o sinal do celular de Fariq foi captado, mas que poderia ser o aparelho sendo desligado, e não sendo usado em uma ligação.

A Malásia está focando em sua investigação criminal o pessoal de cabine e pilotos do avião ?o capitão de 53 anos Zaharie Ahmad Shah e Fariq, de 27 anos? depois de desvincular qualquer dos 227 passageiros de envolvimento, disse a polícia.

Investigadores acreditam que pessoas com conhecimento detalhado do funcionamento do Boeing 777-200ER e de aviação comercial desligaram os sistemas de comunicação do avião antes de desviá-lo de sua rota.

As buscas pelo avião no sudeste do Oceano Índico prosseguiam neste sábado, em meio a temores de que as baterias das caixas pretas podem ter acabado.

Fonte: Folha