Coreia do Norte tem mísseis prontos para fazer dos EUA "um mar de fogo"

General afirmou que seus soldados estão preparados para a guerra. Conselho de Segurança da ONU impôs sanções ao país na véspera.

Um general do Exército Popular da Coreia do Norte afirmou nesta sexta-feira (8) que o país tem mísseis nucleares capazes de alcançar os Estados Unidos, prontos para serem lançados, em uma nova ameaça feita após a resolução emitida na véspera pela ONU contra o país comunista.


Coreia do Norte afirma ter mísseis prontos para fazer dos EUA

O general Kang Pyo-yong disse que a Coreia do Norte conseguiu reduzir o tamanho e o peso de suas ogivas atômicas para instalá-las em projéteis de longo alcance que transformariam em "um mar de fogo" Washington e outros centros dos EUA e de seus aliados, segundo o jornal "Rodong Sinmun"

Além disso, ele afirmou que os soldados norte-coreanos estão preparados para a guerra e só precisam receber uma ordem de seus líderes.

Kang afirmou que a Coreia do Norte equipou seus mísseis balísticos intercontinentais e outros de menor alcance com vários tipos de ogivas nucleares capazes de atacar diferentes alvos.

As autoridades norte-coreanas são conhecidas pela retórica belicosa, mas o tom atingiu níveis sem precedentes nos últimos dias, o que provocou temores de um incidente na fronteira, enquanto as duas Coreias planejam importantes exercícios militares durante a próxima semana.

Embora a Coreia do Norte, já tenha assegurado em ocasiões anteriores que os EUA estão ao alcance de suas armas atômicas, os especialistas internacionais acreditam que o regime não possui tecnologia suficiente para instalar ogivas nucleares em seus mísseis de longo alcance.

A nova ameaça nuclear acontece imediatamente depois que Pyongyang prometeu anular os acordos de não agressão assinados com Seul ao término da Guerra da Coreia (1950-53), em resposta à última resolução do Conselho de Segurança da ONU.

Esse organismo endureceu as sanções voltadas às autoridades norte-coreanas por seu programa nuclear e estabeleceu novas restrições, especialmente de caráter financeiro, em resposta ao teste nuclear ocorrido em 12 de fevereiro.

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul advertiu que a Coreia do Norte provocará sua própria destruição se produzir um ataque nuclear preventivo, em uma resposta às últimas ameaças do regime de Kim Jong-un.

Fonte: G1