Coreia do Norte e do Sul anunciam reunião de trabalho no domingo

Dois países aceitaram enviar três delegados cada a Panmunjom. Encontro será o primeiro depois de meses de tensão entre Coreias.

Coreia do Norte e Coreia do Sul concordaram neste sábado (8) com uma reunião de trabalho no domingo (9) na cidade de fronteira de Panmunjom, depois de meses de tensão, informou Seul.


Coreia do Norte e Coreia do Sul anunciam reunião de trabalho no domingo

Os dois países aceitaram enviar três delegados cada a Panmunjom, um local de encontro tradicional na fronteira, para discussões preparatórias de negociações a alto nível, informou o ministério da Unificação sul-coreano.

A Coreia do Norte anunciou na sexta-feira a reabertura da linha telefônica entre Pyongyang e Seul, cortada em março, e propôs uma reunião de contato de baixo escalão para o fim de semana, em resposta à oferta sul-coreana de um encontro interministerial em Seul na próxima semana.

O Sul respondeu rapidamente, mas sugeriu que o encontro não acontecesse na cidade industrial de Kaesong, a ideia original de Pyongyang, e sim em Panmunjon.

Chamada de "Aldeia da Paz", Panmunjon é a localidade de fronteira pela qual passa a linha telefônica da Cruz Vermelha que permite, em caso de urgência, uma comunicação entre os governos dos dois países, que não mantêm relações diplomáticas.

A Coreia do Norte afirma estar disposta a discutir sobre o futuro do polo industrial de Kaesong, no qual trabalham mais de 50 mil norte-coreanos e centenas de profissionais sul-coreanos. O complexo, crucial para a entrada de divisas no regime comunista, foi fechado por ordem da ditadura norte-coreana em abril.

Kaesong foi criado durante uma aproximação diplomática estimulada pela Coreia do Sul entre 1998 e 2008, que tinha como objetivo incentivar os contatos entre os dois países rivais, que, tecnicamente, permanece em guerra desde o conflito de 1950-1953 e que terminou com um armistício.

O Norte também manifestou disposição de negociar a retomada das visitas turísticas do monte Kumgang.

Assim como Kaesong, Kumgang permitia a entrada de milhões de dólares no hermético país do Norte.

Tensão

A região passou por momentos de tensão depois que o regime norte-coreano realizou um terceiro teste nuclear, executado em fevereiro, e fez ameaças contra os Estados Unidos.

Os contatos bilaterais entre as Coreias estão congelados desde o naufrágio de uma corveta sul-coreana que foi torpedeada, segundo Seul, por um submarino de Pyongyang em 26 de março de 2010, matando 46 marinheiros.

Fonte: G1