Corpo de Cory Monteith é cremado com presença da família

Corpo de Cory Monteith é cremado com presença da família

O corpo de Cory foi liberado nesta terça-feira, 16, para a mãe do ator depois ter passado por uma autópsia

O corpo de Cory Monteith foi cremado nesta terça-feira, 16, em Vancouver, no Canadá, segundo o site americano "TMZ".

A cerimônia foi privada, apenas para a família e para a namorada do ator, Lea Michele. O pai de Cory, Joe Monteith, não foi convidado.

Ainda de acordo com o site, Joe, que é divorciado da mãe do ator, ficou "totalmente devastado" por não ter tido uma última chance de ver o filho.

O corpo de Cory foi liberado nesta terça-feira, 16, para a mãe do ator depois ter passado por uma autópsia. Segundo o "TMZ", ela decidiu fazer uma visitação no hospital acompanhada por Lea e por Shaun, irmão de Cory. Depois da visitação, ela decidiu que queria que o corpo fosse cremado.

O resultado da autópsia de Cory Monteith constatou que havia heroína e álcool no sangue do ator, que morreu no sábado, 13. O exame foi divulgado nesta terça-feira, 16, pelo Departamento de Polícia de Vancouver, no Canadá, que investiga o caso.

"Nós agora temos a causa da morte no trágico caso de Cory Monteith e esta foi por causa da mistura de drogas envolvendo principalmente heroína e álcool", disse a legista Barbara McLintock no comunicado.

Em conversa com o "TMZ", o pai do ator desabafou: "Eu sempre amei os meus dois filhos e eu vou sentir muita, muita falta de Cory. Estou triste pelo fato de que eu não pude estar lá para ver o meu filho antes dele ser cremado". Sobre o resultado da autópsia, o pai de Cory apenas comentou que ele estava "chocado".

Já a namorada do ator não sabia que ele usava heroína, segundo informações do site do blogueiro de celebridades Perez Hilton. Ainda de acordo com uma fonte do blogueiro, a atriz de "Glee" está desvastada com a notícia.

Problemas com drogas

Em abril deste ano, o ator passou um período em uma clínica reabilitação após se internar voluntariamente para tratar sua dependência química - assumida em 2011, em uma entrevista à revista "Parade". Na ocasião, ele contou que começou a usar drogas com 13 anos e que foi internado pela primeira vez em 2009, por interferência da mãe e de amigos.

Cory Monteith lutou contra o seu vício até alguns dias antes de morrer. Segundo o site americano "Radar Oline", o ator esteve em um encontro do grupo Alcóolicos Anônimos dias antes de morrer em Vancouver, no Canadá.

"Cory esteve em um encontro dos Alcóolicos Anônimos quando ele chegou em Vancouver com alguns amigos dele e com alguns amigos meus", disse um amigo do ator ao site. "Eles já tinham participado de reuniões do grupo anteriormente", completou.

A morte

Cory Monteith, de 31 anos, que interpretava o Finn Hudson na série teen "Glee", foi encontrado morto em um quarto do hotel Pacific Rim, em Vancouver, no Canadá.

A polícia do Canadá disse ter recebido um chamado da BC Ambulance Service, serviço de emergência médica do Canadá, por volta das 22h38 (horário local), relatando uma morte repentina em um quarto do 21º andar do hotel Pacific Rim. Os policiais chegaram ao local em 10 minutos.

Segundo a agência de notícias CNN, o corpo de Cory Monteith foi encontrado pela equipe do hotel. Depois que ele perdeu o horário do check out - ele estava hospedado desde o dia 6 no local -, funcionários resolveram ir a seu quarto para ver o que havia acontecido e o encontraram morto, aparentemente há algumas horas.

Através da análise das câmeras de segurança, a polícia, no princípio, descartou a possilidade de assassinato. Na imagens, Cory pode ser visto chegando ao seu quarto sozinho, na noite anterior, apesar de algumas pessoas terem sido vistas na porta mais cedo. A perícia feita no local onde estava o corpo também não mostrou indícios de violência.

Lea Michele, namorada de Cory Monteith, soube da morte do ator por telefone, segundo informações do site "Showbiz Spy", que também afirma que os dois teriam terminado seu namoro recentemente, antes dela viajar com amigos para o México. "Lea caiu em lágrimas. Cory era o mundo para ela. Eles passaram por muitas coisas juntos", disse uma fonte do site. O representante da atriz enviou um comunicado à imprensa na manhã do domingo, 14, pedindo solidariedade com o momento difícil que Lea atravessa. "Pedimos gentilmente que respeitem a privacidade de Lea", diz o documento.

Em abril deste ano, o ator passou um período em uma clínica reabilitação após se internar voluntariamente para tratar sua dependência química - assumida em 2011, em uma entrevista à revista "Parade". Na ocasião, ele contou que começou a usar drogas com 13 anos e que foi internado pela primeira vez em 2009, por interferência da mãe e de amigos.

Fonte: EGO