Criança segue pelo 4° dia refém de homem armado nos Estados Unidos

Sequestrador mostrou sinais de se entregar à polícia.

O homem armado que mantém uma criança de 5 anos refém há quatro dias no estado do Alabama, nos Estados Unidos, mostrou sinais de se entregar à polícia, segundo informou a agência de notícias Associated Press nesta sexta-feira (1°). O homem invadiu um ônibus escolar, matou o motorista e sequestrou o menino, levando-o para um "bunker" no porão de sua casa na cidade de Midland City na última terça-feira (29).


Criança segue pelo 4° dia refém de homem armado nos Estados Unidos

Nesta sexta-feira (1°), a estrada de terra normalmente tranquila que conduz ao "bunker" está repleta de veículos, com mais de uma dúzia de carros da polícia e caminhões, um caminhão de bombeiros, um helicóptero, os oficiais de várias agências e meios de comunicação perto de Midland City. Veículos da polícia estão indo e vindo constantemente por horas a partir do posto de comando. O último grupo, uma equipe de estilo militar, saiu de uma van grande no pré-amanhecer frio desta sexta e se mudou para uma área de teste, próxima ao "bunker".

No céu, um pequeno avião com luzes piscando voa em amplos círculos acima de propriedade do homem. Uma ambulância também está estacionada ao lado da estrada de terra.

A polícia fala com Jimmy Lee Dykes através de um tubo de ventilação de 4 polegadas de largura que chega ao ?bunker?, de acordo com a AP. Negociadores tentaram novamente na noite desta quinta-feira (31) fazer com que ele, que tem 65 anos e é motorista de caminhão aposentado, liberte o garoto. Um funcionário do local disse que a criança chora continuamente por seus pais.

Dykes é acusado de puxar o menino de um ônibus escolar na terça-feira (29) e de matar o motorista, que tentou proteger os 21 jovens a bordo. O atirador e o garoto estão escondidos em uma pequena sala em sua propriedade que as autoridades estão comparado a um abrigo tornado, algo comum na região.

"Os três últimos dias não têm sido fáceis para ninguém", disse o xerife do condado de Dale Olson Wally em uma coletiva de imprensa na quinta-feira (29). Segundo a AP, ele relatou que as autoridades estavam se comunicando com o suspeito, e seu principal objetivo era conseguir que o garoto volte para casa com segurança. "Não há razão para acreditar que a criança tenha sido prejudicada", acrescentou.

James Arrington, o chefe de polícia da cidade vizinha de Pinckard, disse que o abrigo era de cerca de 4 metros de profundidade, com cerca de 6 por 8 metros de espaço e que os negociadores estão falando através de um tubo de PVC. Um deputado estadual disse que o abrigo tem comida, eletricidade e TV.

polícia fala com Jimmy Lee Dykes através de um tubo de ventilação de 4 polegadas de largura que chega ao ?bunker? (Foto: AP Photo / Dothan Eagle, Jay Hare)Polícia fala com Jimmy Lee Dykes através de um tubo de ventilação de 4 polegadas de largura que chega ao ?bunker? (Foto: AP Photo / Dothan Eagle, Jay Hare)

O chefe de polícia disse que o sequestrador dormiu e relatou aos negociadores que passou longos períodos no abrigo antes. "Ele vai ter que se entregar mais cedo ou mais tarde, porque (as autoridades) não estão saindo", disse Arrington. "É muito pequeno, mas ele é conhecido por ficar lá oito dias".

O prefeito de Midland, Capitão Virgílio, disse que foi informado por agentes policiais e reuniu-se com os pais do menino. "Eles estão segurando bem. Eles estão orando e pedindo a todos nós para rezar com eles".

O deputado republicano Steve Clouse, que representa a área da cidade de Midland, disse que visitou a mãe do menino na quinta-feira (31) e que ela está "pendurada por um fio". ?Todo mundo está rezando com ela para o menino", disse ele.

Clouse relatou que a mãe lhe disse que o menino tem a síndrome de Asperger, um transtorno autista, bem como atenção e hiperatividade, ou TDAH. A polícia está entregando a medicação para ele através do tubo, acrescentou.

Dykes era conhecido em todo o bairro como uma figura ameaçadora. Vizinhos disseram que uma vez ele bateu um cachorro até a morte com um tubo de chumbo, ameaçou atirar em crianças e patrulhava o quintal de sua casa à noite com uma lanterna e uma arma de fogo.

Segundo autoridades e grupos antiódio, ele seria um veterano da guerra do Vietnã com posições políticas "anti-EUA".

Ele era considerado o "louco" da vizinhança e, nesta quarta, deveria comparecer ao tribunal para responder à acusação de ter atirado contra seus vizinhos. Ainda não estava claro se ele tinha alguma ligação com a criança.

Morte

O motorista morto foi identificado como Charles Albert Poland Jr., de 66 anos. Ele foi celebrado como herói pela vizinhança ao dar sua vida para proteger os 21 estudantes que estavam no ônibus.

De acordo com as autoridades, a maior parte das crianças foi para os fundos do veículo quando o atirador invadiu o local e disse que queria dois meninos com idades entre 6 e 8 anos.

Enquanto o atirador entrava no ônibus, o motorista tentou bloqueá-lo com seu braço. Foi quando o suspeito atirou quatro vezes contra o motorista, pegou o menino e fugiu.

Fonte: G1