Vítimas serão ouvidas sobre pena de morte para atirador nos EUA

Vítimas serão ouvidas sobre pena de morte para atirador nos EUA

O suspeito de matar 12 espectadores em Aurora fez uma primeira aparição ante o tribunal do condado de Arapahoe

A promotora-chefe do caso do atirador do "Batman" disse nesta segunda-feira (23) que vai consultar as vítimas e os parentes dos mortos antes de decidir se vai pedir pena de morte para James Holmes, suspeito de matar 12 e ferir 58 no estado americano do Colorado.

Carol Chambers disse a jornalistas que a decisão sobre isso só pode ocorrer 60 dias depois da acusação formal de Holmes, que foi marcada para a próxima sexta-feira (30).

O suspeito de matar 12 espectadores em Aurora fez uma primeira aparição ante o tribunal do condado de Arapahoe nesta segunda.

Holmes, de 24 anos, estava de macacão vinho de prisioneiro e cabelos vermelhos.

Ele foi preso sem opor resistência no estacionamento do cinema em que ocorreu o ataque, acusado de ter disparado contra o público que assistia à estreia de "Batman: o cavaleiro das trevas ressurge", matando 12 pessoas, entre elas uma menina de seis anos, e ferindo outras 58.

Foi a primeira aparição pública de Holmes depois do crime.

Ao lado da defensora designada pelo estado, Tamara Brady, ele parecia abatido e resignado enquanto o juiz lia os documentos judiciais no tribunal, na cidade de Centennial.

Em uma audiência que durou menos de 10 minutos, o juiz informou o suspeito de seus direitos. O indiciamento de Holmes acontecerá na próxima segunda.

Vídeo de 2006

A emissora "ABC" divulgou nesta segunda o primeiro vídeo do suspeito. As imagens, gravadas em 2006, mostram Holmes falando sobre "ilusões temporais" em uma feira de ciência em um colégio de San Diego, Califórnia

Ele só não matou mais pessoas porque uma de suas armas travou, informou o jornal "The Washington Post". Holmes usou um fuzil AR-15, uma escopeta Remington e uma pistola automática Glock. Seu arsenal incluía mais de 3 mil balas para fuzil, 3 mil para duas pistolas Glock e 300 para uma escopeta.

Além disso, a polícia precisou, com a ajuda de um robô, realizar uma "limpeza" em seu apartamento repleto de explosivos. Especialistas explicaram que o robô foi usado para cortar o fio que impedia a entrada no apartamento, onde havia detonadores, recipientes com combustível e substâncias não identificadas arranjadas de modo a provocar explosão ou incêndio.

Segundo Dan Oates, chefe de polícia de Aurora, "o apartamento foi armado para matar a primeira pessoa que entrasse nele, com um monte de cabos, recipientes cheios de munições, recipientes cheios de líquidos".

Entre as 12 vítimas que morreram estão Veronica Moser, de 6 anos, o soldado Matt McQuinn, 27, que morreu tentando proteger a namorada, a candidata a comentarista esportiva Jessica Ghawi e o barman Alex Sullivan, que comemorava seu 27º aniversário.

Os disparos efetuados em uma sala atravessaram as paredes e atingiram pessoas na sala ao lado. A polícia chegou em 90 segundos e pouco depois havia 200 agentes no local.

A aguardada estreia do último filme do super-herói levou muitos fãs - principalmente adolescentes e jovens adultos - a irem à sala fantasiados, o que teria permitido ao agressor entrar despercebido com as armas e a máscara anti-gás.

O comissário de polícia de Nova York, Raymond Kelly, disse que Holmes tinha pintado seu cabelo de vermelho e estava fantasiado de Coringa, o "arquiinimigo" do Batman. "Claramente parece um indivíduo desequilibrado", acrescentou.









Fonte: G1