Descoberta família que vivia reclusa há anos em um apartamento

Descoberta família que vivia reclusa há anos em um apartamento

Esta descoberta foi feita pelos bombeiros chamados para atender um mal-estar.

Uma mulher e seus quatro filhos, de 20, 19, 17 e 14, foram encontrados no sábado (5), em condições precárias, depois de terem vivido reclusos há vários anos em um apartamento depredado no coração de Saint-Nazaire (oeste da França), informaram nesta quarta-feira (9) fontes policiais e judiciais.

Esta descoberta foi feita pelos bombeiros chamados para atender um mal-estar, ao passo que a vizinhança nunca havia suspeitado da existência deste drama.

"Nós pensamos, assim como outros vizinhos, que ela tinha ido embora com seus filhos", explicou Pascale Le Gall, a vizinha de cima do apartamento, cuja porta está selada com fitas vermelhas.

Segundo ela, a mãe e seus filhos não eram vistos havia um ano. Outros vizinhos, do mesmo andar da família ou do térreo, falam de três anos.

Apenas o pai, que vivia com um boné sobre o cabelo na altura dos ombros e não respondia aos cumprimentos das pessoas, ainda era visto regularmente por seus vizinhos, deixando lixo ou subindo com as compras.

"Uma investigação foi iniciada para averiguar se houve abandono material e moral por parte dos pais", indicou à AFP a Promotoria de Saint-Nazaire.

Segundo a polícia e fontes da Justiça, os filhos apresentam atraso no desenvolvimento. Eles viviam com seus pais em um apartamento em um estado avançado de insalubridade, com mofo nas paredes e tetos enegrecidos pela umidade. Cadeados foram colocados nas portas exteriores.

Os quatro filhos, um menino e três meninas, encontrados "prostrados", foram hospitalizados.

A mãe, de 47 anos, que chamou os bombeiros na madrugada de sábado sob o pretexto de um mal-estar, foi colocada sob custódia na segunda-feira e libertada na terça-feira para se juntar aos seus filhos.

O pai, de 51 anos, foi internado em um hospital psiquiátrico.

Uma quinta filha mais velha, que já não residia na casa, foi ouvida pelos investigadores.

O escritório que administra o prédio de apartamentos, com aluguéis baixos, onde a família foi descoberta, afirmou que nada indicava uma tal degradação do imóvel. "Não notamos nenhum vestígio sobre esta família em especial", indicou.

"Como todo mundo, ficamos chocados", declarou um porta-voz, Benoît Delliaux, acrescentando que o apartamento era alugado pela família havia mais de uma década.

Pascale Le Gall afirmou, por sua vez, que havia repetidamente relatado problemas de odor, bem como da visita de sua vizinha de baixo que reclamava de barulho e de vazamentos.

Os vizinhos de baixo, uma família com três filhos, informaram em setembro de problemas de infiltração do andar de cima, mas o serviço de reparos não conseguiu entrar em contato.

Fonte: UOL