Enfermeira que caiu em trote de rádio australiana deixou carta suicida para família

Enfermeira que caiu em trote de rádio australiana deixou carta suicida para família

Seu conteúdo não foi revelado, mas segundo a família ela estaria envergonhada com o caso.

Jacintha Saldanha, a enfermeira que caiu em um trote de uma rádio australiana em busca de informações sobre Kate Middleton, deixou uma carta-suicídio para a família, afirma o jornal ?Daily Mirror?.

Seu conteúdo não foi revelado, mas segundo a família ela estaria envergonhada com o caso. Jacintha, uma enfermeira de origem indiana que vivia no Reino Unido, foi encontrada agonizando na área do Hospital King Edward VII, na sexta-feira. De acordo com o tabloide ?The Sun?, ela teria se enforcado no alojamento das enfermeiras.

A nota foi deixada para o marido, Benedict Barboza, e para os dois filhos do casal, Junal, de 17 anos, e Lisha, de 14. A família, que vinha evitando a imprensa, na segunda-feira se encontrou com parlamentares e visitou o hospital onde ela trabalhava. Parentes de Jacintha que ainda vivem na Índia contaram que ?ela era uma pessoa correta? e que deve ter ficado envergonhada por ter sido enganada.

Jacintha atendeu à ligação de dois locutores da rádio 2Day FM, que fingiam ser a rainha Elizabeth II e o príncipe Charles. Ela repassou a ligação para a enfermeira que cuidava da duquesa de Cambridge, que estava internada com fortes enjoos devido à gravidez. Kate teve alta um dia antes de Jacintha ter sido encontrada agonizando.

Após enfrentar uma forte reação de ouvintes e anunciantes, a rádio responsável pelo trote informou nesta terça-feira que vai doar US$ 500 mil para a família da enfermeira. De acordo com o ?Daily Mail?, a emissora 2Day FM afirma ter cancelado todos os seus comerciais e sua festa de Natal numa demonstração de respeito aos parentes de Jacintha.

- Essa é uma tragédia horrível e continuamos a nos solidarizar com essa família. Esperamos com essa contribuição ajudar à família de Jacintha a ter o apoio que necessita - disse Rhys Holleran, diretor-executivo da empresa.

Fonte: O Globo