Equipes de buscas da Austrália detectam um novo sinal que pode ser de avião sumido,afirma agência

Equipes de buscas da Austrália detectam um novo sinal que pode ser de avião sumido,afirma agência

Sinais são "pista mais promissora" das buscas, disse autoridade. Confirmação pode levar dias

Autoridades australianas anunciaram em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (7) que novos sinais foram detectados na área de buscas pelo avião da Malaysia Airlines desaparecido desde o dia 8 de março. O equipamento da marinha dos Estados Unidos capaz de detectar sinais de caixas-pretas, que é conduzido pelo navio australiano Ocean Shild, recebeu dois sinais que são consistentes com a caixa-preta de um avião.

Segundo Angus Houston, diretor da agência australiana que coordena as buscas pelo avião desaparecido, um primeiro sinal foi detectado por duas horas e vinte minutos. Depois, o navio perdeu o contato, mudou de posição e voltou a detectar sinal por cerca de 13 minutos. ?Nesta ocasião, dois sinais distintos foram ?ouvidos?. Isso seria consistente com transmissões de gravadores de dados do avião e de voz da cabine do piloto?, afirmou Houston.

Os sinais foram recebidos ao norte da zona de buscas, a noroeste da Austrália. Houston disse que pode levar dias até que se tenha certeza de que os sinais são da caixa preta do avião desaparecido ou não. ?Claramente, esta é a pista mais promissora e provavelmente é a melhor informação que temos até agora nas buscas?, disse.

"Pode levar alguns dias até que possamos estabelecer que os sinais pertencem ao voo MH370", advertiu, antes de recordar que "na profundidade do oceano nada acontece rapidamente".

O navio Ocean Shield continua na zona e tenta restabelecer o contato do localizador de caixa-preta da marinha norte-americana. Houston explicou que depois o navio fixe uma posição na área de buscas, poderá enviar o submarino ?Bluefin 21? para que tente localizar destroços no fundo do mar e então verifique se se trata do avião desaparecido.

A área em que foram detectados os sinais tem profundidade de aproximadamente 4.500 metros. Este também é o limite da capacidade de autonomia do submarino, disse Houston.

O diretor do Centro de Coordenação de Agências Conjuntas (JACC, na sigla em inglês) disse que 12 aviões, nove deles militares, e 14 navios participam nesta segunda-feira nas operações de busca.

A área de busca alcança 234.000 quilômetros quadrados, segundo o JACC, que prevê boa visibilidade nesta região do Oceano Índico situada 2.000 km ao noroeste da cidade australiana de Perth.

O voo MH370 está sumido desde o dia 8 de março. Ele fazia a rota de Kuala Lumpur, na Malásia, a Pequim, na China, com 239 pessoas a bordo e desapareceu dos radares civis da Malásia cerca de 40 minutos após decolar.

Fonte: G1