Escritora causa polêmica ao chamar Kate Middleton de "manequim" com "sorriso de plástico"

Escritora causa polêmica ao chamar Kate Middleton de "manequim" com "sorriso de plástico"

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defendeu Kate Middleton

Comentários de uma escritora britânica sobre a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, geraram polêmica e várias reações em jornais e entre autoridades da Grã-Bretanha.

Durante uma palestra em Londres, a autora Hilary Mantel, conhecida pelos seus romances históricos passados na corte do rei Henrique 8º, disse que Kate parecia uma "manequim de vitrine, sem personalidade própria" e com um "sorriso de plástico".

"Kate parece ter sido selecionada para o papel de princesa, pois ela era irrepreensível: tão dolorosamente magra como qualquer um poderia desejar, sem peculiaridades, sem excentricidades, sem o risco da emergência de um caráter", disse Mantel, a única escritora britânica que ganhou duas edições do prestigioso prêmio literário Man Booker.

"Ela parece feita com precisão, fabricada como uma máquina, tão diferente de (princesa) Diana, cujo embaraço humano e incontinência emocional apareciam em cada gesto."

"Agora ela vai ser mãe, e (está) metida a outra série de atribuições inconcebíveis. Uma vez que ela ultrapasse os enjoos, a imprensa vai falar que ela está radiante. Eles vão descobrir que a vida desta jovem até agora não era nada, seu único objetivo e propósito é dar à luz", afirmou.

"Presumivelmente Kate foi projetada para procriar (...)", acrescentou a escritora.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defendeu Kate Middleton afirmando que Mantel estava "completamente errada" ao comparar a duquesa de Cambridge a uma "manequim de vitrine".

"O que vi da princesa Kate em público, nas Olimpíadas e outros lugares, é esta pessoa que é brilhante e envolvente, uma fantástica embaixadora para a Grã-Bretanha", afirmou.

"Nós deveríamos nos orgulhar disso, ao invés de fazer estes comentários equivocados", acrescentou o primeiro-ministro.

Divisão

Os jornais mostraram reações mistas ao episódio. Em um artigo para o jornal The Independent, Matthew Norman diz que "Kate Middleton precisa de mais amigas como Hilary Mantel", pois o que o tabloide "Daily Mail" chamou de "um ataque extraordinário e venenoso contra a duquesa", teria sido, na verdade, segundo o colunista, o contrário.

"Se alguém era o alvo da mira telescópica de Mantel, eram aqueles como o ?Mail?, que se concentram em (membros da família) real vulneráveis, como Diana, e agora Kate, sem se importar com as consequências."

Outro jornal britânico, o "The Guardian", concorda com esta opinião e acrescenta que a palestra da escritora foi "uma reflexão ponderada e simpática sobre a duquesa e sobre as mulheres (da família) real através das eras".

Porém, no "Daily Telegraph", o colunista Jake Wallis Simons descreveu os comentários da escritora como "assustadores", e que a autora que deveria "saber como se comportar".

O líder da oposição trabalhista britânica, Ed Miliband, também criticou Mantel. "Estas declarações são muito ofensivas, não concordo com elas. Kate Middleton está fazendo um ótimo trabalho em um papel difícil", disse o político à BBC.

Mantel recebeu o apoio da escritora britânica Jemima Khan, que comentou como foi "interessante como o ?Mail? entendeu errado (a palestra de) Mantel sobre Middleton".

A colunista do jornal "Times" Caitlin Moran disse que a palestra de Hilary Mantel foi "sensata e bela".

Fonte: UOL