EUA oferecem US$ 150 milhões à transição no Egito

Diplomata dos EUA pede moderação ao Bahrein, que também tem protestos

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse nesta quinta-feira (17) que seu país vai oferecer uma ajuda de US$ 150 milhões para a transição política no Egito.

"Tenho prazer em anunciar hoje que estamos reprogramando US$ 150 milhões destinados ao Egito, para nos colocarmos em posição de apoiar a transição nesse país e ajudar em sua recuperação econômica", disse a secretária de Estado, após uma reunião com senadores no Capitólio.

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, entregou o poder ao Exército, após ser demitido por pressão popular em 11 de fevereiro. O Conselho Supremo das Forças Armadas encarregou o governo de continuar trabalhando para a formação de um novo gabinete.



Bahrein

Ela também pediu que o governo do Bahrein tenha "moderação" e cumpra seu compromisso de responsabilizar os que exageraram no uso da força contra manifestantes nos protestos que mataram três pessoas em Manama.

Mais cedo, Hillary havia conversado por telefone com seu colega bareinita, pedindo moderação.

"Hillary Clinton expressou sua profunda preocupação sobre os recentes acontecimentos e pediu moderação a partir de agora", disse uma fonte do departamento.

Com o ministro das Relações Exteriores bareinita, Sheikh Jaled bin Ahmad al Jalifa, falou dos "esforços visando a reformas políticas e econômicas, para responder aos cidadãos de Bahrein", acrescentou a fonte.

O Bahrein enfrenta protestos de rua inspirados nos que derrubaram os presidentes do Egito e da Tunísia. Líbia e Iêmen também registraram confrontos.

Fonte: g1, www.g1.com.br