Filha reclama da vida no Facebook e pai "mata" o notebook dela com 9 tiros; vídeo!

Filha reclama da vida no Facebook e pai "mata" o notebook dela com 9 tiros; vídeo!

O vídeo já tem mais de 20 milhões de visualizações no YouTube

O pai de uma adolescente atirou nove vezes no notebook da filha e postou o vídeo no Facebook. Tommy Jordan resolveu dar uma lição na menina de 15 anos, que havia publicado um texto na rede social reclamando da vida que levava.

O vídeo Facebook Parenting: For the Troubled Teen, postado há apenas alguns dias, já tem mais de 20 milhões de visualizações no YouTube. O pai dedica o vídeo à rebelde filha, aos amigos que gostaram da atitude da jovem e para todos os pais que acham que os filhos não postam coisas ruins no Facebook.

Ele lê o post da filha e a ridiculariza por achar que conseguiria esconder do pai a mensagem secreta. Jordan a encontrou quando atualizou o computador da filha. No post, a adolescente reclama dos trabalhos domésticos e, ainda, diz que os pais tornavam a sua vida muito difícil.

Ela destacou que era muito difícil conseguir fazer todas as tarefas de casa e estudar. A jovem disse que não conseguia ficar acordada depois de 22h, já que levantava às 5h, e, por isso, os pais deveriam pagá-la pelas tarefas domésticas. O pai ri das declarações da filha e diz que ela tem uma vida fácil se comparada a que ele teve.

Após sete minutos repreendendo a filha, Jordan se levanta e atira no laptop da menina por considerar o post altamente desrespeitoso. O pai completa a lição dizendo que, se ela quiser outro laptop, será preciso comprar um sozinha.

Jordan escreveu em sua página do Facebook que a repercussão do vídeo tem ajudado pai e filha a lidar com os problemas. Ele diz que a filha está bem e ambos acharam graça quando perceberam que o vídeo se tornou um viral na Internet.

Entretanto, o pai admite que aquele não foi um bom exemplo e compreende algumas reclamações. Com a repercussão do vídeo, a polícia local e o Serviço de Proteção à Criança e ao Adolescente visitaram a família, mas não viram motivos para intervir no caso.



Fonte: Tech Tudo