Foguete norte-coreano cai no mar após 1 minuto do seu lançamento

O lançamento aconteceu às 7h39 locais (19h39 de quinta-feira em Brasília).

O canal sul-coreano YTN divulgou que a agência espacial norte-coreana ainda não teve resposta do artefato lançado. O lançamento aconteceu às 7h39 locais (19h39 de quinta-feira em Brasília).

A ONU convocará uma reunião de urgência do Conselho de Segurança nesta sexta-feira para avaliar as consequências do lançamento ao regime do ditador Kim Jong-un. A previsão é de que o país seja sancionado por violar duas resoluções da organização que proíbem o uso de tecnologia de mísseis militares.


Foguete norte-coreano cai no mar após 1 minuto do seu llançamento

FOGUETE

Oficialmente, o foguete, de 30 metros de altura e 2,5 metros de diâmetro, levava um satélite de observação da Terra, o Kwangmyongsong-3 (Estrela Brilhante) para coletar informações sobre as plantações, florestas e os recursos naturais da Coreia do Norte.

Mas os Estados Unidos e seus aliados, em particular a Coreia do Sul e o Japão, afirmavam que era um teste disfarçado de míssil balístico de longo alcance, que poderia ser o primeiro passo, segundo fontes militares sul-coreanas, para um teste nuclear.

O primeiro estágio do foguete deveria cair no mar Amarelo, a oeste da península coreana, e o segundo ao leste das Filipinas, sobrevoando uma parte das ilhas de Okinawa, na região sul do Japão. O foguete foi lançado do novo centro espacial construído na península de Cholsan, a 50 km da fronteira com a China.

Na quarta (11), a Coreia do Norte declarou que iniciou o abastecimento de combustível do foguete, mas não revelou a data exata do lançamento.

REAÇÕES

Na tarde desta quinta, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse que os ministros de Relações Exteriores do G-8 devem tomar "medidas adicionais" se a Coreia do Norte fizesse o lançamento.

"Se Pyongyang proceder com isso, todos nós iremos de novo ao Conselho de Segurança [da ONU (Organização das Nações Unidas)] para tomar novas medidas", disse Hillary aos jornalistas após uma reunião de chanceleres do G-8 em Washington.

Os Estados Unidos e países vizinhos da Coreia do Norte, como a Coreia do Sul, o Japão, a China e a Rússia, acreditam que o exercício espacial encobre um teste de mísseis de longo alcance.

Mais cedo, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que é sul-coreano, manifestou "profunda preocupação" pelo lançamento e pediu ao regime comunista que cancelasse a atividade. "Espero que as autoridades da República Popular Democrática da Coreia escutem os pedidos".

Ban Ki-moon lembrou que, caso Pyongyang lançasse o foguete, violaria duas resoluções do Conselho de Segurança que proíbem atividades de lançamento com tecnologia de mísseis. "Se a Coreia do Norte faz esse lançamento, penso que os Estados membros debaterão a questão no Conselho".

Fonte: Folha