Forças de Israel atacam navio com ajuda humanitária

Forças de Israel atacam navio com ajuda humanitária

Pelo menos dez pessoas morreram, segundo o Exército israelense.

Militares de Israel interceptaram um comboio que tentava furar o bloqueio de ajuda humanitária à Gaza imposto por Israel e pelos Estados Unidos. O Exército de Israel afirma que mais de dez pessoas morreram na operação. Segundo relatos, muitos deles teriam nacionalidade turca. Agências internacionais de notícias informam que 30 ativistas ficaram feridos no ataque. A "Frota da Liberdade", composta por três navios que levavam 750 ativistas e 3 com 10 mil toneladas de carga saíram de uma área perto do Chipre. Os ativistas contaram que mostraram bandeiras brancas, mas os soldados atiraram na tripulação. O Hamas, que administra a região palestina, condenou o ato. As imagens da televisão da Turquia mostram os militares invadindo uma das três embarcações turcas que faziam parte do comboio. Oficiais de Israel afirmaram que foram recebidos com resistência pelos ativistas e que haviam recebido ordens para atirar quando estivessem em perigo. Eles confirmaram que havia feridos nos barcos e que três navios de guerra da marinha israelense deixaram a base em Haifa. A invasão aconteceu às 4h no horário local (22h de Brasília) em águas internacionais. Israel disse que ,depois de uma verificação de segurança, a carga será enviada para Gaza pelos meios autorizados. O governo afirma que não atacou nenhum navio, apenas “cumpriu uma ordem do governo que impede que qualquer embarcação se aproxime da Faixa de Gaza sem entrar em contato com Israel”. Em comunicado, o exército de Israel afirma que os suprimentos poderiam ser enviados à Gaza legalmente por meio do seu território. A “Frota da Liberdade” havia partido para Gaza na tarde deste domingo (30) levando com 10 mil toneladas de ajuda humanitária, que inclui cadeiras de roda, casas pré-fabricadas e purificadores de água. Israel alertou que interceptaria os navios se continuassem com a missão. Esta foi a nona vez que o movimento pró-palestina tentou levar ajuda à Gaza desde a implantação do bloqueio, há quase três anos. Repercussão internacional O ataque israelense revoltou parte da população turca. Desde o início da manhã, centenas de manifestantes protestaram em frente a delegações diplomáticas de Israel na Turquia. Alguns manifestantes tentaram invadir o prédio do consulado israelense em Istambul. A polícia tentou impedir a entrada e empurrou o grupo para trás. O chanceler da Turquia criticou duramente o ataque e pediu explicações à Israel sobre o que aconteceu.

Fonte: g1, www.g1.com.br