Furacão Sandy fica mais forte e centenas de milhares de pessoas deixam casas em NY

Furacão Sandy fica mais forte e centenas de milhares de pessoas deixam casas em NY

Tempestade atingirá continente no sul de Nova Jersey ainda nesta segunda.

O furacão Sandy, que ameaça a Costa Leste dos EUA, intensificou-se e seus ventos máximos sustentados alcançaram 150 quilômetros por hora, anunciou nesta segunda-feira (29) o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

Em seu boletim das 15h GMT (13h de Brasília), a agência afirmou que a tempestade, que pode ser a maior da história dos EUA, move-se a 30 quilômetros por hora, velocidade considerada alta, e possivelmente tocará o continente "no sul da costa de Nova Jersey nesta tarde ou nesta noite".

Os primeiros efeitos de Sandy, que matou ao menos 66 pessoas em sua passagem pelo Caribe, já eram sentidos, e as autoridades federais e estaduais se preparam para enfrentar a tempestade.

Milhares de voos foram afetados, centenas de milhares de pessoas tiveram de deixar suas casas em Nova York, onde todo o sistema de transporte público parou e a Bolsa de Valores permanecerá fechada nesta segunda-feira. Nova York tinha o aspecto de uma verdadeira cidade-fantasma nesta segunda.


Furacão Sandy fica mais forte e centenas de milhares de pessoas deixam casas em Nova York

A expectativa pela tempestade também atrapalha a campanha presidencial dos EUA, a quase uma semana da votação de 6 de novembro que opõe o atual presidente Barack Obama e seu rival republicano Mitt Romney.

Na costa da Carolina do Norte, no domingo, a televisão mostrou imagens de ilhas que se estendem ao longo da costa varridas pelos ventos, pela chuva e pelo mar agitado. As montanhas de West Virginia podem ficar cobertas com um metro de neve.

Nova Jersey e Delaware ordenaram a retirada de moradores da região costeira que corre o risco de inundações.

Obama pediu aos seus compatriotas que levem "muito a sério" o perigo. Ele deve fazer pronunciamento às 14h45 (horário brasileiro de verão), na Sala de Situação da Casa Branca, sobre a tempestade.

A rede de transporte público na cidade de Nova York - metrô, ônibus, trens - parou de operar domingo antes da chegada do furacão.

Além disso, por volta de 7.400 voos domésticos e internacionais foram cancelados no domingo e nesta segunda-feira, principalmente nos aeroportos de Nova York, Washington e Filadélfia.

A Bolsa de Nova York ficará completamente fechada nesta segunda-feira e, provavelmente, na terça-feira, anunciou domingo à noite a sua operadora, NYSE Euronext, que até aquele momento assegurava que manteria o intercâmbio eletronicamente.

A Suprema Corte dos EUA decidiu cancelar suas sessões marcadas para terça, postergando-as para quinta.

De Washington a Nova York, os moradores e funcionários das redes de transporte empilhavam sacos de areia para proteger suas propriedades das inundações anunciadas, enquanto filas eram formadas diante dos supermercados para estocar alimentos.

Chamado de "Superstorm", "Monsterstorm" ou "Frankenstorm", em referência ao Halloween na quarta-feira, para ressaltar o tamanho e potencial perigo do furacão, Sandy deve se reforçar ao encontrar uma frente fria vinda do Canadá, de acordo com as previsões do serviço de meteorologia.

Rapidamente, as autoridades intensificaram suas medidas de precaução. Em Nova York, cidade mais populosa do país, o prefeito Michael Bloomberg ordenou a evacuação de 375 mil pessoas de zonas propensas a inundações ao longo da parte leste do Rio Hudson. O nível da água pode subir mais de três metros, de acordo com o NHC.

Cerca de 1.100 soldados da Guarda Nacional foram para a cidade.

Os espetáculos da Broadway foram cancelados no domingo e na segunda-feira, enquanto os parques, "playgrounds" e praias estão fechados para o público.

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, também decretou o fechamento dos cassinos de Atlantic City, a "Las Vegas da Costa Leste".

Na maioria dos estados do litoral, os governos declararam estado de emergência a fim de poder mobilizar rapidamente os meios, enquanto milhões de crianças devem ficar em casa, com muitas escolas públicas de Washington a Boston fechadas.

As rádios alertam para a possibilidade de cortes de energia, transmitindo mensagens explicando as precauções.

Veleiro naufragado

Quatorze dos 16 tripulantes de um veleiro naufragado na costa da Carolina do Norte (sudeste dos EUA) foram resgatados, segundo a Guarda Costeira dos Estados Unidos, que continua procurando duas pessoas desaparecidas.

Eles abandonaram a embarcação à deriva nesta segunda-feira no trajeto do furacão Sandy.

O serviço de socorro informou inicialmente que a tripulação da embarcação canadense contava com 17 pessoas, que estavam a salvo.

Os marinheiros foram socorridos por dois helicópteros Jayhawk. Um avião Hércules C-130, que será apoiado por um terceiro helicóptero, continua no local para buscar os dois membros da tripulação que continuam desaparecidos.

O veleiro canadense "HMS Bounty", réplica de um famoso barco do século XVIII, ficou a mercê das águas turbulentas 144 km a sudeste de Hatteras, Carolina do Norte.

O barco se encontrava a aproximadamente 257 km a oeste do olho do furacão.

Caribe

O furacão deixou pelo menos 66 mortos após a passagem pelo Caribe.


Furacão Sandy fica mais forte e centenas de milhares de pessoas deixam casas em Nova York

Furacão Sandy fica mais forte e centenas de milhares de pessoas deixam casas em Nova York

Fonte: G1