Inglês com transtorno mental morre após levar soco em discussão na rua

Andrew Young, de 40 anos anos, portador da Síndrome de Asperger - um transtorno semelhante ao autismo

A mãe de um jovem, que matou um homem com problemas mentais com um único soco, saiu em defesa do filho, na noite da última quarta-feira, alegando que o crime ?não foi grande coisa?. Falando do lado de fora de sua casa em Sutton, no sul de Londres, Sharron O"Hagan, apoiou o filho, Lewis Gill, de 20 anos, que foi preso por homicídio culposo. As informações são do jornal The Guardian.

?Foi apenas um acidente. Não foi grande coisa. Isso tudo vai ser esquecido. Ele é meu filho, o que você quer que eu diga? Ele não tinha a intenção de matar e é isso?, afirmou a americana, ao Mail Online, em entrevista.

Andrew Young, de 40 anos anos, portador da Síndrome de Asperger - um transtorno semelhante ao autismo -, morreu no hospital, um dia após o ataque, em 6 de novembro do ano passado, em Bournemouth, cidade do condado de Dorset, na Inglaterra.

As imagens do ataque, divulgadas pela polícia local, essa semana, causaram comoção nacional. Nelas, Young aparece discutindo com um ciclista sobre os riscos dele andar com o veículo sobre a calçada. O homem, que está acompanhado de Gill, vai embora. Mas Gill retorna e dá o golpe.


Inglês com transtorno mental morre após levar soco em discussão na rua

Gill foi condenado, na última quarta-feira, a 4 anos e meio de prisão. Antes, ele já estava detido preventivamente.

A mãe da vítima, Pamela Young, de 71 anos, que estava sentada ao lado do filho quando ele morreu, criticou a pena recebida pelo agressor. ?Isso é uma piada. Eu vi as imagens do ataque no ​​tribunal e você pode ver que Andrew não causou qualquer dano a Lewis?, afirmou ela.


Inglês com transtorno mental morre após levar soco em discussão na rua

Um grupo de moradores da região, indignados com a pena, já começou uma campanha para cobrar por uma pena maior. Até o fim de março, a Procuradoria Geral da região pode rever a sentença e, talvez, ampliá-la.

Através de sua conta no Twitter, o procurador-geral afirmou: ?Recebi uma série de pedidos para rever a sentença de homicídio de Lewis Gill. Só era preciso um pedido. A avaliação será iniciada?.

Fonte: G1