Irã executa mulher de ex-jogador  condenada por assassinato

Irã executa mulher de ex-jogador condenada por assassinato

Anistia Internacional havia pedido a suspensão da execução.

A esposa de um jogador de futebol iraniano, condenada pela morte da primeira mulher do atleta, foi executada na forca, anunciou o advogado da vítima em entrevista à agência oficial Irna.

"Depois de quase oito anos de prisão, Shahla Jahed foi enforcada às 5h (23h30 de Brasília, terça-feira) na penitenciária de Evin", declarou o advogado Abdolsamad Khoramshahi.

Na terça-feira, a Anistia Internacional (AI) havia pedido ao Irã a suspensão da execução e destacou que existiam "boas razões para pensar que ela foi condenada injustamente".

Khadijeh Jahed, conhecida como Shahla, foi condenada à morte pelo homicídio da esposa do ex-astro do futebol Nasser Mohammad Khani.

Shahla e Khani, um astro do futebol iraniano dos anos 80, estabeleceram uma espécie de casamento temporário próprio do islã xiita, que permite uma união que pode durar desde poucas horas até vários anos.

Os homens podem ter até quatro esposas "permanentes" e um número indefinido de esposas "temporárias", mas as mulheres podem casas apenas com um homem.

Condenada à pena capital em junho de 2004, Shahla Jahed modificou a confissão. A justiça determinou em novembro de 2005 a suspensão do veredicto para examinar o caso mais uma vez, mas a pena de morte foi confirmada em setembro de 2006.

No início de 2008, a justiça anulou novamente o veredicto e ordenou mais uma uma análise, mas a ré foi condenada à morte mais uma vez em fevereiro de 2009, segundo a AI.

A morte de Shahla eleva a pelo menos 146 o número de pessoas executadas desde o início do ano, segundo um balanço da France Presse com base nas informações publicadas pela imprensa local

Fonte: g1, www.g1.com.br