Cientistas vão para a prisão por não terem previsto terremoto

O terremoto provocou mais de 300 mortes e destruiu uma série de prédios históricos da região.

Os cientistas italianos acusados de subestimar os riscos ante um terremoto que devastou a região de L"Aquila, em 2009, foram condenados nesta segunda-feira a seis anos de prisão por homicídio por negligência.

No fim de setembro, a promotoria havia pedido quatro anos de detenção para os sete membros da comissão italiana de grandes riscos, seis experts em terremotos e o diretor adjunto de preparação para emergências, Bernardo De Bernardinis.

O terremoto provocou mais de 300 mortes e destruiu uma série de prédios históricos da região. A Justiça acusa os cientistas de não haverem informado a população do risco que corriam para que pudessem tomar medidas e proteger-se.

Entre os acusados estão nomes conhecidos no meio científico italiano, como o professor Enzo Boschi, até pouco tempo atrás presidente do Instituto Nacional de Geofísica, e o professor de Física Claudio Eva.

Fonte: Terra