Itália declara emergência em áreas mais afetadas pelo terremoto

Itália: resgate corre contra o tempo

A Itália declarou estado de emergência nas regiões mais afetadas pelo terremoto de quarta-feira, enquanto equipes de resgate corriam contra o tempo para ainda tentar encontrar sobreviventes.

O primeiro-ministro do país, Matteo Renzi, solicitou 50 milhões de euros (cerca de R$ 180 milhões) em fundos para ações de reconstrução.

Ao menos 267 pessoas morreram e 400 se feriram no terremoto. Equipes vasculharam escombros pela segunda noite seguida na região afetada.

Centenas de réplicas do terremoto registradas desde o abalo principal dificultam o trabalho de 5 mil pessoas que, segundo o governo, estão envolvidas nas operações de resgate.

Itália registra mais de 100 tremores secundários após terremoto  (Crédito: Estadão)
Itália registra mais de 100 tremores secundários após terremoto (Crédito: Estadão)
Moradores de Amatrice ficaram amontoados  (Crédito: Estadão)
Moradores de Amatrice ficaram amontoados (Crédito: Estadão)

Um tremor de magnitude 4.7 atingiu, por exemplo, a região na manhã de sexta-feira.

Além do pedido de fundos, o primeiro-ministro suspendeu a cobrança de impostos de moradores das cidades atingidas e anunciou uma nova iniciativa, denominada "Casas Italianas", para rebater críticas sobre a qualidade das construções nas áreas afetadas.

Mas Renzi também afirmou ser "absurdo" pensar que a Itália possa erguer construções completamente à prova de terremotos.

As afirmações ocorrem após críticas na imprensa italiana sobre padrões de construção em áreas de alto risco. Algumas estruturas destruídas haviam passado recentemente por restaurações.

Resgate nos escombros (Crédito: Estadão)
Resgate nos escombros (Crédito: Estadão)
Fonte: iG