Jornal belga divulga imagem de atirador que matou cinco pessoas

Além das mortes, o ataque deixou mais de 120 pessoas feridas.

Um jornal belga divulgou nesta quarta-feira a primeira fotografia de arquivo obtida de Nordine Amrani, 33, responsável por um ataque na cidade de Liège, na Bélgica, que causou até o momento cinco mortes e deixou mais de 120 pessoas feridas. O veículo "La Meuse" publicou a imagem em sua página na internet e na capa de sua versão impressa, sem detalhar como conseguiu a fotografia de Amrani ou a data em que ela foi produzida.



Amrani atirou granadas em pedestres que estavam em uma praça central e bastante movimentada por volta do horário de almoço para depois se suicidar com um tiro na cabeça, de acordo com informações da polícia local.

O homem já era conhecido da polícia belga. Em setembro de 2008, ele foi condenado a 58 meses de prisão por associação criminosa, por posse ilegal de armas e plantação de 2.800 pés de maconha.

Antes de ir à praça Saint-Lambert, onde está situado o Palácio de Justiça e perto de um mercado popular, o belga é suspeito de ter assassinado mais uma pessoa. A polícia belga encontrou o corpo de uma mulher de 45 anos morta na casa do autor do ataque.

As autoridades acreditam que Amrani matou a mulher em sua casa pouco antes de dirigir-se à praça Saint-Lambert, no centro nervoso da cidade. O local estava muito movimentado no instante do ataque, já que estava próximo do horário do almoço e havia muitos estudantes nas ruas.

Pouco depois do atentado foram confirmadas as mortes de três jovens --de 15, 18 e 20 anos-- e de uma mulher de 75. Um bebê de 17 meses faleceu durante a noite, após ficar várias horas entre a vida e a morte, já que tinha sido baleado na cabeça.

Hoje o número foi revisado, e a Justiça belga disse que quatro pessoas morreram no massacre de terça-feira. Cinco feridos estão em condição grave, segundo a ministra do Interior, Joelle Milquet.

Vestido com uniforme militar e armado com quatro granadas, uma pistola e um fuzil automático, Nordine Amrani abriu fogo contra pessoas que esperavam ônibus na praça a partir do teto de uma padaria. Pouco depois cometeu suicídio.

As pessoas correram em desespero e muitas foram atingidas por estilhaços dos vidros destruídos pelas granadas lançadas pelo autor dos ataques.

Fonte: Folha.com