Mãe chama policiais para simular prisão e assustar o filho bagunceiro de 10 anos

Quando os oficiais chegaram na casa da família, explicaram para a mãe o que iriam fazer. Depois, algemaram o menino e o puseram no banco traseiro de um carro da polícia

Image title

Uma americana decidiu encenar a prisão do filho único, de apenas 10 anos, para assustá-lo após descobrir que o pequeno estava fazendo muita bagunça na escola. Moradora de Georgia, nos Estados Unidos, Chiquita Hill, de 33 anos, então, decidiu ligar para polícia local, expor o mau comportamento do garoto e combinar com dois agentes uma detenção fictícia do menino, que ficou apavorado ao ser algemado na porta de casa, na última terça-feira. Imagens do momento foram publicadas no Facebook pela própria mãe que, em seguida, depois de ampla divulgação, decidiu apagá-las. As informações são do jornal Daily Mail.

Segundo a mulher, Sean vinha sendo “rude” na escola e “não estava fazendo seus trabalhos de casa”. Chiquita, que não sabia mais o que fazer para controlar o comportamento do filho, decidiu armar a prisão dele com os policiais de Columbus. “Eu sabia que tinha que fazer algo para chocá-lo”, disse ela para a rede ABC News.

Quando os oficiais chegaram na casa da família, explicaram para a mãe o que iriam fazer. Depois, algemaram o menino e o puseram no banco traseiro de um carro da polícia. Sean, claro, acreditou na encenação e começou a chorar. Os agentes, na verdade, o levaram para dar um volta na vizinhança e tiveram com ele uma conversa sobre como ele deveria se comportar.Image title


“Tudo aconteceu muito rápido”, contou Chiquita. “Sean nem teve tempo de reagir. Ele ficou assustado”. No entanto, depois da "brincadeira", ele foi “libertado” e correu para dar um abraço na mãe. “Não sei o que eles (os policiais) disseram para ele”, contou a mãe que ouviu do filho: “Desculpe, desculpe. Eu nunca mais vou fazer nada disso”.

Ao jornal The New York Daily News, a mulher se defendeu: “Eu só queria assustá-lo. Não queria feri-lo. Eu queria que ele entendesse que existem consequências para as ações dele”. As fotos da “prisão” de Sean foram publicadas no Facebook e viralizou. Após a polêmica, eles foram apagadas.

Lem Miller, chefe-assistente do Departamento de Polícia de Columbus, afirmou que “nossos oficiais agiram sem qualquer aprovação de superiores”. E acrescentou: “Nós entendemos totalmente que eles estavam tentando fazer uma coisa boa, mas não podemos fingir prender alguém”, disse ele que afirmou que os policiais que detiveram o menino não serão penalizados.

No entanto, após o susto, Sean parece estar se comportando. “Ele tem ido muito bem na escola”, afirmou a mãe.



Fonte: Extra