Mãe de suposta vítima do ex-diretor da FMI Strauss-Kahn fez sexo "brutal" com ele

Mãe de suposta vítima do ex-diretor da FMI Strauss-Kahn fez sexo "brutal" com ele

É mãe de Tristane Banon, jornalista francesa que alega ter sido vítima de uma tentativa de estupro

Em mais uma reviravolta do caso do ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn, a mãe de uma das supostas vítimas do francês admitiu ter feito sexo consensual e "brutal" com ele, segundo a revista francesa "L"Express".

Anne Mansouret é mãe de Tristane Banon, jornalista francesa que alega ter sido vítima de uma tentativa de estupro durante uma entrevista com Strauss-Kahn, em Paris, em 2003.

Mansouret decidiu denunciar o ex-diretor do FMI depois de ele ser preso, em Nova York, por crimes sexuais contra uma camareira de um hotel de luxo. Criticada pela demora, ela diz que busca um fim para a história.

Mansouret revelou o caso em uma entrevista à revista francesa "L"Express". Ela disse que a relação ocorreu em 2000 e foi consensual, mas que Strauss-Kahn "agiu com a brutalidade de um soldado".

O encontro teria ocorrido no escritório de Paris da Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento, na qual Strauss-Kahn era conselheiro especial do secretário-geral.

"L"Express" diz que Mansouret descreveu Strauss-Kahn como um predador que não quer agradar e sim tomar "e se comporta como um cafajeste obsceno". "Luxúria sexual o faz querer dominar", disse.

A tentativa de estupro contra a filha de Mansouret, Banon, teria ocorrido três anos depois, em 2003. Banon descreveu Strauss-Kahn como um "macaco tarado".

Segundo o site de notícias MyFoxNY, a ex-mulher de Strauss Kahn e melhor amiga de Mansoure, Brigitte Guillemette, chegou a confrontá-lo após o incidente. Ele teria dito "eu não sei o que aconteceu comigo. Eu dormi com a mãe... fiquei louco quando eu vi a filha".

Guillemette, contudo, nega. Contatada por investigadores, ela disse que era "tudo falso".

Segundo o "L"Express", Banon ligou em choque a Mansouret após o incidente. Ela então foi encontrar a filha do lado de fora do apartamento onde a entrevista foi realizada.

Na época, Mansouret aconselhou a filha a desistir de prestar queixa contra o poderoso Strauss-Kahn. Com a nova revelação, o jornal especula se Mansouret não tentava

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br