Massacre na França ocorreu depois de carro atolar, diz jornal

Segundo Le Monde, agressor se aproximou da família após veículo parar

Um britânico morto nos Alpes franceses em setembro fez uma tentativa desesperada de levar sua família para um lugar seguro sob uma chuva de balas, mas seu carro atolou e o agressor se aproximou para matá-los. Essa é a tese da polícia francesa, segundo o jornal Le Monde.

Saad al-Hilli, um engenheiro britânico de origem iraquiana, foi encontrado assassinado com um tiro junto com a esposa e sogra no carro em uma estrada montanhosa remota perto do vilarejo de Chevaline, não muito longe das fronteiras suíça e italiana.

Um ciclista francês também foi encontrado morto a tiros, mas a polícia não sabe se ele foi morto primeiro ou se tornou vítima depois de se aproximar do local com sua bicicleta.

Embora a investigação tenha lançado alguma luz sobre a sequência de eventos, muitos detalhes importantes, assim como o motivo do assassino, ainda desafiam a polícia, escreveu o jornal no sábado.

O agressor também tentou matar a filha de 7 anos da família britânica, batendo na cabeça dela depois de ter ficado sem munição.

Sua irmã de 4 anos de idade sobreviveu se escondendo entre as pernas e as saias da mãe morta, no banco traseiro do carro.

Os investigadores acreditam que o assassino estava sozinho e usou apenas uma arma, uma pistola comum no exército suíço nos anos 1920 e 1930, e não o tipo de arma usado por profissionais, informou o Le Monde.

A garota mais velha disse à polícia que ela e o pai estavam fora do carro quando começaram os tiros. Incapaz de colocá-la no carro, ele então tentou fugir no veículo com o resto da família sob os disparos do assassino.

Mas o veículo atolou, deixando a família à mercê do assassino, que então atirou na cabeça dos três adultos.

O jornal disse que embora não esteja claro em que momento o ciclista foi assassinado, parece que o corpo dele foi atingido pelo carro de al-Hilli durante a tentativa de fuga.

Depois de ficar sem munição, o assassino atingiu a garota no rosto com a arma, mas aparentemente foi interrompido por alguém ou algo antes de fugir do local.

Fonte: G1